Sobre Bordignon, Anabel e Levi

O futuro é um buraco cego

Auto-retrato de Millôr

– O passado não tem qualquer padrão. O futuro é um buraco cego!

A frase de Carlos, personagem de Os órfãos de Jânio, mesmo publicada lá em 1978 pelo Millôr, é atemporal quando se trata de política.

Simplesmente porque a política mexe com as pessoas, e são as pessoas que mexem com a política.

O Seguinte: apurou que desenha-se nos bastidores uma tentativa de trégua entre as campanhas de Daniel Bordignon (PDT) e Levi Melo (PSD).

Pelo menos um dos lados, o do ex-prefeito, já acenou a bandeira branca.

Cláudio Ávila, presidente do partido, não passava semana sem usar as redes sociais para atacar Levi e seus principais interlocutores.

Parou.

A ordem na campanha de Bordignon passou a ser “respeito a Levi, respeito ao PSD”.

O mesmo não vale mais para Anabel Lorenzi (PSB):

– Chega de tirá-la para comadre, quando os apoiadores dela são os que mais nos atacam, nos bastidores, nas redes sociais e nos atos políticos que fazem – diz uma fonte da campanha de Bordignon.

– Já no PSD identificamos um adversário em comum, que é o prefeito – explica.

– Anabel ficou muito parecida com o Marco Alba (PMDB). Ela se aliou ao vice-prefeito dele, Francisco Pinho (PSDB), e indicou para seu vice o vereador Beto Pereira (PSDB), que representa a extrema direita, que acha que o funcionalismo é o vilão e defende o fim da estabilidade no serviço público – argumenta a fonte.

O primeiro sinal do rompimento definitivo entre PDT e PSB foram representações da campanha de Bordignon na justiça pedindo a aplicação de quatro multas por propaganda eleitoral fora do prazo supostamente feita por Anabel com o movimento Melhora Gravataí.

Mas, mesmo que o passado não tenha qualquer padrão e o futuro seja um buraco cego, como dizia Carlos, esse movimento do PDT não significa a possibilidade de uma aproximação real das candidaturas e dos partidos – pelo menos durante a eleição deste ano.

Não passará de uma política de boa vizinhança, se assim ocorrer.

Até porque lideranças do PSD tem a interpretação de que o motivo para a campanha de Bordignon baixar o tom com Levi é outro:

– Eles tem medo de uma aproximação do Levi com a Anabel – resume fonte da campanha de Levi.

O que também não vai acontecer.

Levi é candidato a prefeito nem que tenha que sair só ele e o vice Alemão da Kipão pedindo votos na rua.

 

LEIA MAIS:

Campanha de Bordignon aciona Anabel

E o vice da Anabel é…

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade