cultura

Gravataiense ’De La Mancha, O Cavaleiro Trapalhão’ premiado no Açorianos de Teatro

Peça que venceu prêmios estaduais tem atores de Gravataí

A obra "De La Mancha: O Cavaleiro Trapalhão", da Rococó Produções Artísticas e Culturais de Gravataí, recebeu três prêmios Tibicuera de Teatro Infanto-juvenil.

Comandada pela atriz Kaya Rodrigues, a premiação organizada pela Secretaria de Cultura de Porto Alegre teve formato híbrido e ocorreu presencialmente no Teatro Renascença para os indicados e foi transmitida pelo instagram da Coordenação de Artes Cênicas para o público.

O espetáculo dos artistas gravataienses Guilherme Ferrêra, Henrique Gonçalves e Roger Santos, que estava indicado em sete categorias, foi premiado como Melhor Espetáculo Infanto-Juvenil – De La Mancha: O Cavaleiro Trapalhão; Melhor Artista Performer Masculino – Henrique Gonçalves e Melhor Ação Periférica.

– Estamos extremamente honrados com essas premiações, esse é um trabalho de muitas mãos e tudo isso somente é possível graças ao público que tanto no presencial quanto no formato virtual continua nos acompanhando. O teatro feito para crianças deve ser valorizado sempre pois ele é a entrada de muitos apreciadores de arte, então recebermos esses prêmios significa muito para nossa equipe – afirma Henrique Gonçalves, ator premiado na cerimônia.

"De La Mancha: O Cavaleiro Trapalhão” subverte a tradicional estética da contação de histórias e se vale de teatro, dança, música e flamenco para discutir temas como a amizade e a lealdade, as relações de poder e a imaginação através da leitura.

Tem no elenco Guilherme Ferrêra e Henrique Gonçalves, que vivem, respectivamente, Dom Quixote e Sancho Pança/Dulcinéia.

A obra atravessa todas as gerações de espectadores, sugerindo muitas camadas de interpretação e convidando adultos e crianças para celebrarem de um mesmo espetáculo, através de uma abordagem de linguagem não-violenta com o tempero principal do humor e da diversão.

Enriquecido por uma longa pesquisa na cultura Flamenca, estão presentes no espetáculo, os palmeios, os “pitos”, a percussão corporal e os sapateados que são valorizados pela trilha sonora original de Pedro Borghetti, que leva até a Espanha em seus ritmos como as tradicionais “sevilhanas” e “bulerias”.

A região de La Mancha e os povoados de Albacate, Cuenca, Ciudad Real, Toboso e Toledo são recriados pela cenografia, iluminação e adereços do artista Roger Santos, em seus tons de sépia em referência a uma terra seca e poeirenta do centro da Espanha.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade