andreo fischer

TIM fica com 29 DDDs da Oi e RS está incluso

A venda do braço móvel da Oi segue a passos largos. A fatia foi vendida por R$ 16,5 bilhões para um consórcio formado por suas concorrentes, Claro, TIM e Vivo. O dinheiro servirá para pagar parte do endividamento de R$ 65 bilhões da companhia telefônica que teve surgimento na antiga Telemar. A Oi passará a focar em internet fibra ótica, um mercado promissor nas grandes e pequenas cidades que contavam com soluções precárias de acesso à rede.

As linhas móveis da operadora no Rio Grande do Sul (DDDs 51, 53, 54, 55) passarão a ser atendidas pela TIM, que concorrerá fortemente com Claro e Vivo, pioneiras na prestação do serviço de telefonia celular no estado.

Caso o cliente não concorde com a mudança, ele poderá fazer a portabilidade para Claro ou Vivo sem custos.

Veja como ficou a divisão de clientes da Oi móvel

: Claro: 27 DDDs: 13, 14, 15, 17, 18, 27, 28, 31, 33, 34, 35, 37, 38, 43, 44, 45, 46, 47, 48, 49, 71, 74, 77, 79, 87, 91 e 92.

Vivo: 11 DDDs: 12, 41, 42, 81, 82, 83, 84, 85, 86, 88 e 98.

TIM: 29 DDDs: 11, 16, 19, 21, 22, 24, 32, 51, 53, 54, 55, 61, 62, 63, 64, 65, 66, 67, 68, 69, 73, 75, 89, 93, 94, 95, 96, 97 e 99.

Segundo reportagem do jornal Zero Hora de 12/02, os serviços de telecomunicações podem ficar até cinco vezes mais caros, já que a Oi puxava os preços para baixo em até cinco vezes também. Mas nem sempre a qualidade do serviço acabava compensando e muitos clientes iam ao Procon prestar queixas contra a prestadora. Os números de telefone dos clientes continuam válidos mesmo após o fatiamento da tele para os concorrentes.

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Emocore Rave

Expansionismo genético Votem no clichê sagrado Em edição americana Sempre haverá uma Salém Ossos no fundo do poço Carne new wave Emocore rave Para o mal Para o bem.

Leia mais »