crise do coronavírus

Surto assusta Glorinha; Em Gravataí, casos dobram. E segue ’festa da covid’ nas barbas da Guarda

Um surto de covid assusta Glorinha. Em Gravataí a ‘ideologia dos números’ também mostra crescimento de infectados. É a ‘festa da covid’, nas barbas das guardas municipais e da brigada militar, que ameaça com restrições aos comerciantes – cumpram ou descumpram os protocolos sanitários. Agradeçamos a vacina pelas mortes não aumentarem.

O prefeito Paulo José fez um apelo à população do município vizinho e, após reunião com o comitê técnico, anunciou a suspensão dos eventos municipais, como o campeonato de futebol 7.

– Se não tivermos a colaboração de todos corremos o risco de retroceder – alertou, concluindo o vídeo com o “Jesus nos proteja”.

Glorinha, que, nos últimos dois meses, tinha média entre 2 e 3 casos semanais, registrou 32 casos em 14 dias. Uma média de 2.2 infectados/dia. Os casos na cidade, desde o início da pandemia em março de 2020, chegam a 815, com 26 vidas perdidas.

– Temos duas internações, uma em estado grave em UTI e com dificuldade para conseguir leito no Dom João Becker – informou o prefeito.

O hospital de Gravataí, administrado pela Santa Casa, cobre também o município vizinho, além de receber pacientes de mais de uma centena de outras localidades.

Os indicadores de Gravataí também pioraram em relação aos infectados. Com 23.882 casos em quase um ano e seis meses, 475 em setembro, a média está em 18.2. Em agosto foi de 12.7; julho 16.7 e junho 37.4.

Já os óbitos seguem em queda. São 18 nos primeiros 26 dias do mês, média de 0.6, menor que agosto (0.8), julho (1.3) e junho (2.3). Em março, pior mês da pandemia, 6 vidas eram perdidas por dia.

As UTI do Becker têm 12 dos 16 leitos ocupados e os 12 de enfermaria lotados, conforme atualização de ontem. Dia 8, como apresentei em Como está atendimento à covid 10 dias após fechamento do Hospital de Campanha de Gravataí, 13 (81.25%) estavam ocupadas, assim como 11 (91.67%) dos 12 leitos covid.

Aguardo o secretário da Saúde de Gravataí para analisar o aumento de infectados. Assim que Régis Fonseca retornar o contato do Seguinte: atualizo o artigo.

Ao fim, insisto na ‘festa da covid’ porque, pelo menos em Gravataí, se o comércio do dia cumpre as regras, não parece haver limites nos principais points da noite; e tudo postado nas redes sociais.

Se preocupar, basta o prefeito Luiz Zaffalon chamar em seu gabinete os responsáveis pela Guarda Municipal para saber onde, deu meia-noite, arreda as mesas e vale aquela máxima, “o que acontece em Vegas, fica em Vegas”.

Se são as ‘festa da covid’ as culpadas, não sei. Mas é onde acontecem as principais aglomerações desmascaradas de Gravataí.

A ‘imunização de rebanho’ só chega com 9 a cada 10 habitantes com duas doses.

Da vacina, não do combo.

 

LEIA TAMBÉM

Gravataí e Cachoeirinha dizem ’não’ para o negacionismo homicida de Bolsonaro; A fumaça, a ex, o caçula e o assassínio curandeiro na Prevent Senior

Líder da vacina, Gravataí começa a aplicar terceira dose contra covid; A noite escura dos pobres e as estrelas da noite

A ’ideologia da ciência’: por que vacina funciona em Gravataí; Aviso aos covidiotas, a média de infectados caiu de 12.7 para 11.7

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Emocore Rave

Expansionismo genético Votem no clichê sagrado Em edição americana Sempre haverá uma Salém Ossos no fundo do poço Carne new wave Emocore rave Para o mal Para o bem.

Leia mais »