negócios

Rede Asun, de Gravataí, está entre 5 supers gaúchos que mais faturam

Giane Guerra, em sua coluna Acerto de Contas em GZH, traz hoje Quais são os supermercados gaúchos que mais faturam. O ranking mostra, ainda, o número de lojas e de funcionários de cada rede

O Asun, de Gravataí, está na quinta colocação dos supermercados gaúchos que mais faturam, como revela Giane Guerra, em sua coluna Acerto de Contas em GZH. 

A edição de 2021 do Ranking Agas, pesquisa feira pela Associação Gaúcha de Supermercados (AGAS), entrega na noite desta segunda-feira premiação. O levantamento considerou 226 empresas do setor no Rio Grande do Sul ao longo do ano passado. 

– A AGAS pondera, porém, que há grandes companhias que não passam dados e, por isso, não entram no ranking. São exemplos de que estariam entre as primeiras: Carrefour, Big e Andreazza – observa a jornalista. 

A história da Rede Asun Supermercados começou há 25 anos com sede no bairro Bom Princípio, em Gravataí. Em agosto de 2019 inaugurou nova e gigantesca sede de 11 mil metros de área construída em um terrenos de  na rua Acylino Francisco de Medeiros, na rótula da Av. Plínio Kroeff, no Distrito Industrial.

 

OS 5 PRIMEIROS NO RANKING

1. Companhia Zaffari (Porto Alegre): Manteve a primeira posição. R$ 6,32 bilhões de faturamento. 38 lojas. 11.899 funcionários.

2. Comercial Zaffari (Passo Fundo): Subiu da terceira para a segunda posição. R$ 2,459 bilhões de faturamento. 29 lojas. 3.417 funcionários.

3. UnidaSul (Esteio): Caiu da segunda para a terceira posição. R$ 1,911 bilhão de faturamento. 42 lojas. 5.025 funcionários.

4. Importadora e Exportadora de Cereais (Grupo Imec, de Lajeado): Manteve a quarta posição. R$ 1,064 bilhão de faturamento. 26 lojas. 2.723 funcionários.

5. Asun (Gravataí): Manteve a quinta posição. R$ 972 milhões. 37 lojas. 3.432 funcionários.

 

A história do Asun

 

A Rede Asun de Supermercados foi fundada pela matriarca dos Ortiz, a espanhola Asunción Romacho Garcia de Ortiz, que veio para o Brasil em 1960 seguindo os passos do marido, Ernesto, e trazendo com ela os filhos Ernesto, Antônio e José. Na Espanha era dona de uma ferragem e, quando chegou ao Brasil, foi costureira, doméstica e vendedora de calçados, de porta em porta.

Não demorou muito para que abrisse um pequeno estabelecimento comercial, em 1964, na avenida Cavalhada, bairro do mesmo nome, em Porto Alegre. Pressionada por problemas financeiros, mudou com a família para o litoral, na década de 70, onde deixou aflorar de novo a veia comercial e, na praia de Quintão, abriu um pequeno comércio nos mesmos moldes do que tinha na capital.

Cerca de 10 anos depois, em 1983 de acordo com Antônio Ortiz, ela retornou para Porto Alegre e abriu uma padaria à qual deu nome de Asun, como era chamada pelos mais próximos, uma abreviatura do seu nome, Asunción. Isso foi na avenida Benjamin Constant, na Zona Norte de Porto Alegre.

Foi o embrião de uma rede que, hoje, tem 30 lojas varejistas.

Na década de 1990, ainda de acordo com o diretor-presidente Antônio Ortiz, o Asun Supermercados, já com mais lojas, instalou uma sede que funcionava como Centro de Distribuição no bairro Sarandi. E a expansão continuou até a compra do terreno em Gravataí – “uma ótima oportunidade de negócio”, define ele – onde a empresa ficou baseada nos últimos 25 anos e só saiu agora, para o Distrito Industrial.

A Rede Asun – que opera as bandeiras Asun e Leve Mais – gera 3 mil postos de trabalho nas 30 lojas da Região Metropolitana, Porto Alegre e cidades do Litoral.

 

Assista à entrevista que o diretor-presidente Antônio Ortiz concedeu a SEGUINTETV sobre os planos para a rede Asun, ao inaugurar em 2019 nova sede no Distrito Industrial de Gravataí

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Emocore Rave

Expansionismo genético Votem no clichê sagrado Em edição americana Sempre haverá uma Salém Ossos no fundo do poço Carne new wave Emocore rave Para o mal Para o bem.

Leia mais »