crise do coronavírus

Perto de completar um ano de funcionamento ininterrupto, Hospital de Campanha de Cachoeirinha já realizou 21.572 atendimentos

Perto de completar um ano de funcionamento ininterrupto, o Hospital de Campanha de Cachoeirinha já realizou 21.572 atendimentos. Também foram feitos, até o momento, 1.232 testes rápidos e 8.214 exames do tipo PCR. Dentre as pessoas que procuraram atendimento no Hospital de Campanha, 379 ficaram internadas, 79 precisaram ser intubadas e 54 vieram a óbito.  

Neste período, foram ainda mais de 161 mil medicamentos dispensados, para pacientes que, após o atendimento, pegaram as medicações indicadas e puderam fazer o tratamento em casa. Em relação ao consumo de oxigênio no Hospital de Campanha, foram consumidos de Oxigênio Líquido de Caminhão Tanque 50.183m3, de Oxigênio Medicinal Carga Cil G. 109m3; e de Oxigênio Medicinal Cil T 10m3 4.612m3. 

A estrutura dispõe de 45 leitos, sendo dez de UTI, e 14 respiradores. São 92 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos, fisioterapeutas, higienização, administrativo e guarda municipal. O paciente mais idoso que foi atendido estava com 99 anos e o mais jovem com 22. A internação mais longa no Hospital de Campanha durou 35 dias.  

O custo mensal para manter o Hospital de Campanha é em média de R$ 1,2 milhão. Conforme o prefeito Miki Breier, o enfrentamento à pandemia de Covid-19 tem sido uma prioridade em sua gestão.

– O Hospital de Campanha está salvando muitas vidas. Contamos também com a ajuda da comunidade e trabalhamos para desafogar o sistema público de saúde – salienta o prefeito.  

Há um mês, o Hospital de Campanha, em parceria com a primeira-dama, Vanessa Morais, e voluntários, criou a sala de descompressão, para cuidar dos seus 92 profissionais, com atendimento de Reiki, massagem e ginástica laboral.

– Temos uma agenda de atendimentos diários, realizados por voluntários das 15h às 21h, e já foram atendidos 62 profissionais – conta o diretor do Hospital de Campanha, Vanderlei Marcos. 

O Hospital de Campanha também recebeu a doação de dez poltronas, para dar conforto na sala de medicação, oito respiradores e três cápsulas respiratórias. O serviço de lavanderia está sendo feito através de uma parceria com a empresa Renova.

 

LEIA TAMBÉM

100 dias de Miki em Cachoeirinha: maior acerto do prefeito é o que quase o fez perder reeleição

Leite vai brincar de colorir mapinha? Gravataí, Cachoeirinha e Grande Porto Alegre querem bandeira vermelha por decreto

A polêmica da volta às aulas: Gravataí e Cachoeirinha odeiam professores?; Para alguns nas redes sociais parece

6 meses para ’vacina municipal’: no conta gotas atual, 2 anos para imunizar Gravataí e Cachoeirinha

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Emocore Rave

Expansionismo genético Votem no clichê sagrado Em edição americana Sempre haverá uma Salém Ossos no fundo do poço Carne new wave Emocore rave Para o mal Para o bem.

Leia mais »