política

Gravataí e Cachoeirinha vão tirar a máscara como Porto Alegre; É debate para o momento? O que governo e oposição querem ’vender’? O chato

Gravataí e Cachoeirinha vão seguir a decisão de Porto Alegre de retirar a obrigatoriedade do uso de máscaras ao ar livre. Reputo um debate desnecessário; a não ser que o objetivo seja ‘vender’ que a pandemia acabou.

O prefeito Luiz Zaffalon (MDB) publicou decreto nesta sexta-feira, logo depois a Sebastião Mello (MDB) ter feito o mesmo baseado “na realidade da pandemia e da vacinação na Capital”. Na próxima sexta a Prefeitura avaliará flexibilizar a utilização da proteção em ambientes fechados.

Cachoeirinha vai esperar até terça que vem para decidir.

A liberação ao ar livre foi sustentada cientificamente pela equipe técnica do governo e representantes de quatro universidades gaúchas.

Os dados de Porto Alegre, Gravataí, Cachoeirinha e região metropolitana são iguais, cerca de 9 a cada 10 adultos com ao menos uma dose, 80% com o esquema vacinal completo e 40% com o reforço.

Ao fim, aguardemos se o Judiciário será instado.

A Associação Mães e Pais pela Democracia conseguiu na Justiça de Porto Alegre e no Tribunal de Justiça reverter o fim da proibição de máscara para crianças.

Era no ambiente fechado da sala de aula, mas a decisão observou que lei federal prescreve a obrigatoriedade, como reportei em Justiça derruba decreto seguido por Gravataí que desobrigava máscaras para crianças; Pandemia não terminou: são 7 casos por horaErram governos Zaffa e Leite ao tirar obrigatoriedade de máscara para crianças em meio a volta às aulas e campanhas antivacina; Especialistas criticam e Cachoeirinha mantém máscaras obrigatórias para crianças; É acerto na volta às aulas, em meio a campanhas antivacina e quase mil infectados entre 0 e 12 anos.

Salvo engano, vale o mesmo para os ambientes abertos, já que a lei 13.979/2020 não foi revogada e estados e municípios podem ser mais, não menos restritivos.

Como analisei em As mensagens atravessadas do ’bota máscara, tira máscara’; Média em Gravataí é de uma vida perdida por dia, e especialistas citados no artigo também alertam, o preocupante é a mensagem que emula o ‘bota máscara, tira a máscara’.

Como não sou negacionista, se os técnicos e cientistas ajudam os políticos a tirar as máscaras, resta-me aceitar.

Já na análise do Zeitgeist, o ‘espírito do tempo’, permito-me opinar. Por que tratar dessa polêmica agora? Qual o ganho? Sabemos todos que aqueles sem máscara na rua não são punidos, mas inegável é que o uso por alguns incentiva os cuidados em outros. Pior: na semana que vem vamos liberar no Sogil e no Transbus lotados?

Minha única certeza é que, com ou sem decretos de governos, vou seguir uma cultura dos países asiáticos que, pela experiência com endemias, usam máscara no dia-a-dia.

Se a ideia é botar no intervalo do Big Brother que a pandemia acabou, os óbitos por todas as causas, inclusive covid, em fevereiro de 2022 chegam a 125 mil, virtualmente empatando com os 126 mil de fevereiro de 2021.

Em Gravataí caiu de 10 para ‘só’ 4 infectados por hora; e, em média, mais de 1 vida perdida por dia.

Quando Alan Vieira (MDB), líder do governo Luiz Zaffalon (MDB), instigou na última sessão da Câmara que a culpa da crise é do ‘fica em casa’, e Dimas Costa (PSD), líder da oposição, tuitou hoje que com o fim da máscara ‘falta pouco para a normalidade’, até entendo.

Ao fim, concluo como nos artigos anteriores, nenhum contestado pela ‘ideologia dos números’: “… chato como um Dr. Stockmann, em Um Inimigo do Povo, de Ibsen, mais uma vez associo-me ao cientista Miguel Nicolelis, brasileiro com incontestáveis acertos nos alertas que fez para as sequentes ondas da pandemia: a maioria dos políticos e da imprensa tenta convencer que a normalidade voltou, mas a realidade não os obedece…”

Convençam-me, não sou refém do binarismo.

LEIA TAMBÉM

Covid: estão mentindo para mães e pais de Gravataí e Cachoeirinha sobre a vacinação de crianças

om recorde de covid, Gravataí e Cachoeirinha terão Carnaval?; A folia de toda noite

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Emocore Rave

Expansionismo genético Votem no clichê sagrado Em edição americana Sempre haverá uma Salém Ossos no fundo do poço Carne new wave Emocore rave Para o mal Para o bem.

Leia mais »