cultura

Graffiti vai mudar o cenário da cidade

De novembro a dezembro, a Avenida Flores da Cunha será a galeria do projeto Rota Graffiti Cachoeirinha, onde dez grafiteiros vão romper o cinza urbano, expondo murais ao longo da via. Conforme a produtora cultural e proponente do projeto, Sônia Zanchetta, um dos objetivos é tornar a principal área comercial da cidade um ponto de efervescência cultural e de atração turística.

Apoiado por empresas locais, o projeto promove um concurso estadual para selecionar os grafiteiros que realizarão murais no eixo da Flores da Cunha. Os dez finalistas, de uma lista de 29 inscritos, serão divulgados no dia 16 de setembro.

O Rota Graffiti Cachoeirinha prevê, também, a realização de oficinas com o grafiteiro Motu, da Paxart, Produtora de Arte/ Atelier Coletivo, de Porto Alegre, para artistas plásticos, arte-educadores e outros interessados com conhecimentos básicos de desenho, que ocorrerão na sede do Instituto Cultural e Social Ágora, no dia 20 de novembro. As inscrições já podem ser feitas pelo link https://bit.ly/2WKyyxs

– Além da oportunidade de aprendizagem e de vivência com os grafiteiros selecionados, os participantes das oficinas serão incentivados a dar continuidade ao projeto, compartilhando os conhecimentos adquiridos em escolas públicas – conta Sônia.

Nos atos de entrega dos murais, que ocorrerão em momentos diferentes, em fins de semana, os grafiteiros apresentarão seu trabalho e ocorrerão intervenções de artistas circenses da cidade.

Ainda segundo a proponente, o projeto tende a gerar um impacto mais profundo do que a formação de grafiteiros e a melhora do visual da Av. Flores da Cunha, ressignificando espaços e produzindo reflexos positivos sobre os negócios das empresas ali estabelecidas, a autoestima e a noção de pertencimento da população.

Sônia Zanchetta, formada em Jornalismo pela PUCRS, atua há 39 anos como produtora cultural. Integra a Comissão Executiva da Feira do Livro de Porto Alegre desde 1997 e, em Cachoeirinha, preside o Instituto Cultural e Social Ágora, que atua junto a três bairros com alta vulnerabilidade social na cidade, desenvolvendo projetos nas áreas da educação, desenvolvimento social, cultura, geração de renda, consciência ambiental, entre outros.

O Fundo da Cultura de Cachoeirinha (FUCCA) é uma iniciativa do município de Cachoeirinha, através da Secretaria de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo, de fomentar setores da cultura da cidade por meio do financiamento de projetos selecionados via edital. Este ano, são dez projetos, que receberão o valor de R$ 10 mil cada um, para executar sua ação cultural no município até o prazo de 31 de dezembro.

Para o prefeito Miki Breier, o FUCCA é uma importante forma de incentivar a cultura.

– E estamos sempre buscando mecanismos para impulsionar o setor está entre os mais atingido pela pandemia.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Emocore Rave

Expansionismo genético Votem no clichê sagrado Em edição americana Sempre haverá uma Salém Ossos no fundo do poço Carne new wave Emocore rave Para o mal Para o bem.

Leia mais »