política

Governo Zaffa apresenta resultados do subsídio milionário à Sogil em Gravataí; Tarifas, App, horários e o ar-condicionado

O governo Luiz Zaffalon (MDB) começa a apresentar os resultados do subsídio – de R$ 5 milhões em abril do ano passado como indenizações da pandemia e socorro ao sistema e até R$ 3,6 milhões neste ano bancando gratuidades – para o transporte coletivo municipal, o que, para o leitor compreender, chamo sempre de ‘pauta-bomba da Sogil’.

Após o ProColetivo garantir a redução da tarifa de ônibus de Gravataí para o valor mais baixo da Região Metropolitana, de R$ 4,80 para R$ 3,75, e implementar o aplicativo Time Bus, que permite que passageiros acompanhem o trajeto das linhas que atendem o município, em tempo real, o prefeito anunciou a partir desta segunda-feira o incremento de 79 novos horários.

Zaffa anunciou o desmembramento das linhas nortes, os bairros Natal, Parque dos Eucaliptos, Bonsucesso, Neópolis e Rosa Maria passam a ser atendidos independentemente. O número de horários passa de 23 para 102.

Nos últimos meses, a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semurb) também desmembrou o sistema sul, que passou a atender os bairros Cohab, Parque Olinda e Vila Rica, de forma individual, e aumentou a frequência das linhas troncais e do Rincão da Madalena, de 12 minutos para 10.

Juntas, as mudanças representam o aumento de 79% dos horários em relação a 2021; passando de 300 para 539.

– Seguiremos monitorando as demandas da população, com o objetivo de ampliar os horários ofertados conforme a necessidade – disse o secretário Guilherme Ósio, informando que a operadora, que não é mais obrigada a usar cobradores, contratou 48 novos colaboradores, como motoristas e profissionais da logística e manutenção.

Como tem feito em todos os eventos que palestra, como reportei em O ’My Way’ de Zaffa em Gravataí quando fez um balanço de um ano de três meses de governo no Almoçando com a Acigra, Zaffa reafirmou a exigência do ProColetivo por melhorias ligadas à qualidade do transporte público, com a aquisição de novos ônibus, implementação de veículos com ar-condicionado, além do aperfeiçoamento geral no sistema.

Os primeiros efeitos do subsídio foram apresentados em março ao comitê do programa, composto por diversos representantes da sociedade. Desde a implementação em 1º de janeiro, houve o aumento de 19,68% no número de passageiros pagantes entre janeiro e fevereiro de 2022, que vinha numa que de 611.748 usuários pagantes em 2013 para 159.360 em 2020 e menos de 250 mil no ano passado.

É o “ciclo virtuoso”, que aumenta o número de pagantes e segura e até reduz o preço das tarifas, e motivou Zaffa a conceder o subsídio, começando a superar o “ciclo vicioso” em que diminuía o número de passageiros e aumentava o valor das passagens.

O prefeito também lembrou que a redução de tarifa está impulsionando a economia do município, desonerando a folha de pagamento de empresas, responsáveis por 90% do vale-transporte, e gerando novos postos de trabalho. 

Para encerrar a conta, Zaffa também já tem obra de infraestrutura do PavimenTaí, que com financiamento de R$ 50 milhões melhora ruas por onde passam ônibus e a mobilidade, reduzindo tempos de percurso.

O subsídio, para quem não acompanhou a polêmica, pode chegar a até R$ 8,6 milhões até o fim de 2022.

Os primeiros R$ 5 milhões foram pagos à Sogil em 2021 – parte como indenização a perdas com as restrições de circulação da pandemia, e parte como incentivo ao sistema por meio de compra de passagens, distribuídas aos pobres e desempregados – para manter congeladas as tarifas em R$ 4,80, como estavam desde 2019.

Em 2022, com o ProColetivo, o cálculo é de que o aporte da Prefeitura para a Sogil, para baixar a tarifa a R$ 3,75, seja, em média, de até R$ 300 mil mensais. A Prefeitura vai bancar as gratuidades. Hoje 4 a cada 10 usuários são isentos em Gravataí, o que corresponde a quase 90 mil pessoas.

O orçamento vem de vitória judicial, em decisão liminar, em ação contra a Agência Nacional do Petróleo (ANP) que garantirá pelo menos R$ 12 milhões para o município em 2022.

 

LEIA TAMBÉM

Um ano de governo, 1h com Zaffa: balanço e perspectivas; Covid, Rio, investimentos, Zaffari, pauta-bomba da Sogil e outras polêmicas

Gravataí e Cachoeirinha: estudo mostra ser irreversível subsídio como para Sogil e Transbus

 

Ao fim, insisto no óbvio. É a ‘institucionalização’ do subsídio, municipal, estadual e federal. Impopular, mas inevitável ‘pauta-bomba’ – como sempre descrevo.

Gravataí é só pioneira, e não por gosto, mas por necessidade, já foi seguida pelo governo do Estado e testemunha pressão nacional dos municípios sobre o governo federal para subsidiar o transporte coletivo, que é um direito constitucional.

O Congresso Nacional reconheceu a necessidade de socorro ao transporte coletivo, um direito garantido pela Constituição, o presidente Jair Bolsonaro ainda não, apesar de ainda ter alguns apoiadores que andam de ônibus.

Fato é que não apareceu ainda alternativa para manter tarifas pagáveis na crise que vive o transporte coletivo desde a ‘tempestade perfeita’, que começa com a chegada dos aplicativos, explode na tragédia da pandemia e é piorada por combustíveis 65% mais caros em 12 meses.

E quem paga, e precisa do serviço, é o pobre, que não tem isenção e muito menos a escolha de ir para o trabalho de carro próprio (ouvindo um até amanhã do frentista), ou então de uber.

Há um exemplo arrasador: se você tem dentro de um ônibus apenas um gari, um desembargador aposentado e um estudante do colégio particular mais caro da cidade, o único a pagar é o gari.

Em Gravataí, a redução de R$ 1,05 pode ser imperceptível para muita gente. Mas, para efeitos de comparação, a economia permite a um casal de trabalhadores, que usa diariamente dois ônibus, comprar um botijão de gás a cada mês.

 

Assista na TV Seguinte: o que, em 2022, já disseram sobre o socorro ao transporte coletivo o prefeito; o diretor da Sogil; o ex-prefeito; a deputada estadual e o então secretário de Mobilidade Adão de Castro

 

 

LEIA TAMBÉM

Gravataí terá 4 postos de saúde modelo e mais asfalto em 2022; Plano de Zaffa até 2024 vale mais de 100 prêmios do BBB em investimentos

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Emocore Rave

Expansionismo genético Votem no clichê sagrado Em edição americana Sempre haverá uma Salém Ossos no fundo do poço Carne new wave Emocore rave Para o mal Para o bem.

Leia mais »