política

Governador libera mais dinheiro para arrumar ERS-118 antes de pegadiar; O meio bilhão e o ’país do faturo’

Não bastam os R$ 400 milhões já usados por 14 anos na duplicação de 21 Km da ERS-118 entre Gravataí e Sapucaia do Sul. O governador Eduardo Leite (PSDB) autorizou nesta segunda-feira mais R$ 17,67 milhões para iniciar a pavimentação entre Viamão e Porto Alegre.

O meio bilhão em dinheiro público deixará a rodovia estadual concluída até 2022 para entregar para exploração privada com pedágios, como já tratei em uma série de artigos como Gravataí dos 3 pedágios: Leite confirma cobrança na 118 e 020 em Gravataí; Não era ’fake news’.

A pavimentação de 14,5 Km entre Viamão e o Lami é parte do programa Avançar, o Plano de Obras de R$ 1,3 bilhão apresentado pelo governador como “um dos maiores investimentos da história do Rio Grande do Sul na área”.

Não por menos integrantes do movimento anti-pedágio de toda região receberam Leite com faixas de protesto no Centro de Viamão.

A polêmica está oficialmente na cancela.

Leite propôs a instalação de pedágios na ERS-118 em Gravataí (Km 22,6) e na ERS-020 (Km 22,9), inclusas no plano de concessão de mais de mil quilômetros de rodovias estaduais por 30 anos, com previsão de aporte de R$ 10,6 bilhões, R$ 3,9 bilhões nos primeiros cinco anos.

Gravataí terá pedágio no Passo das Pedras, na 118, duplicada após 20 anos e R$ 400 milhões em dinheiro público, e no distrito de Morungava, na 020, ambas com tarifas entre R$ 5,88 e R$ 7,84 previstas no leilão.

De acordo com o plano não haverá mais isenção para moradores. A proposta é de desconto para usuários frequentes. Veículos leves e que utilizem TAG para pagar o pedágio terão redução de 5% no valor da tarifa.

Outra modalidade será o desconto progressivo escalonado conforme o número de viagens realizadas dentro do mês, também via TAG no veículo: de 4 a 7 viagens – desconto de 10%; de 8 a 11 viagens – desconto de 12,5%; de 12 a 15 viagens – desconto de 15%; de 16 a 19 viagens – desconto de 17,5% e 20 viagens ou mais – desconto de 20%.

Ao fim, reputo necessário più parole do governador para convencer de que não é um escândalo, privataria, entregar para uma empresa privada explorar uma rodovia cuja duplicação foi entregue em dezembro, após 20 aos de R$ 400 milhões em dinheiro público.

Atropela-me o slogan: Brasil, o país do faturo!

Que assim não seja.

 

LEIA TAMBÉM

Gravataí dos 3 pedágios: Leite confirma cobrança na 118 e 020 em Gravataí; Não era ’fake news’

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Emocore Rave

Expansionismo genético Votem no clichê sagrado Em edição americana Sempre haverá uma Salém Ossos no fundo do poço Carne new wave Emocore rave Para o mal Para o bem.

Leia mais »