política

Fiasco do impeachment: TJ mantém suspensão da cassação de Miki em Cachoeirinha; 3,2,1… para arquivamento por falta de prazo

A desembargadora Isabel de Azevedo Souza, da 22ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça, manteve a suspensão do processo de cassação de Miki Breier (PSB) em Cachoeirinha.

– Por fim, diante da inobservância do disposto no artigo 5º, inciso II, do Decreto-Lei n.º 201, de 27 de fevereiro de 1967, o qual dispõe sobre a responsabilidade dos Prefeitos e Vereadores, segundo o qual os três Vereadores da Comissão Processante devem ser escolhidos por sorteio, não se verifica afronta à separação dos poderes, visto que o controle exercido pelo Poder Judiciário sobre atos administrativos abusivos ou ilegais não ofende referido princípio. Assim, indefiro a atribuição de efeito suspensivo ao recurso – diz o despacho, das 20h30, que nega recurso do presidente da comissão processante David Almansa (PT).

A desembargadora não aceitou a argumentação de que o decreto que regulamenta os impeachments “… somente define a forma de constituição da Comissão Processante, por meio de sorteio entre os vereadores desimpedidos, contudo, não regulamenta como deve ocorrer eventual substituição de membro da comissão…”.

O presidente alegou ainda que solicitou instruções ao procurador geral da Câmara, “…o qual emitiu parecer orientando a preencher a vaga da Vereadora que estava se retirando da Comissão pela indicação do líder da bancada do partido da referida vereadora, por analogia ao que preceitua o Regimento Interno da Câmara de Vereadores de Cachoeirinha…”.

A autoindicação de Felisberto Xavier (PSD) como relator é o que a desembargadora considerou irregular nas decisões de sexta e de hoje.

Ao fim, como a ‘CPI’ tem prazo apenas até 23 de fevereiro para apresentar parecer aos vereadores, e não conseguiu ouvir Miki e testemunhas de acusação e defesa, que deporiam hoje, reputo jaz na noite desta segunda-feira a quarta tentativa de impeachment contra o prefeito afastado desde 30 de setembro.

Na argumentação do recurso, Almansa alerta que a defesa de Miki tenta “… de forma deliberada, fulminar a Comissão Processante por meio de subterfúgio dos prazos processuais, posto a exiguidade dos prazos para o término da Comissão Processante…”.

Fato é que a Câmara errou nos ritos processuais, como alertei a partir do dia da abertura do processo de cassação, em artigos como Começa cassação do prefeito de Cachoeirinha: ’Sérgio Moro de Miki’ é do PT; os Grandes Lances dos Piores Momentos e o que pode anular o processoO ’triplex do Miki’: Na ânsia de cassar, vereadores vão absolver prefeito afastado em Cachoeirinha; Inocente de quê? e Impeachment: Adiado depoimento de Miki e testemunhas; A ’Rede Globo de Cachoeirinha’ acertou.

E erros processo são a única forma do Judiciário interferir no julgamento político do Legislativo; o que está acontecendo.

Analisei ontem esse que é dos Grandes Lances dos Piores Momentos da Câmara, em O ’triplex de Miki’: Justiça anular impeachment é mais um fiasco para Câmara de Cachoeirinha; ’Querem mesmo cassar?’ ou ’A culpa é do Supremo!’.

A qualquer momento mais informações.

 

LEIA TAMBÉM

Miki tenta habeas corpus para voltar à Prefeitura de Cachoeirinha.

Cachoeirinha pode ter nova eleição em 2022 e Miki e Maurício inelegíveis até 2028; MP incendeia julgamento de cassação pelo TRE

Do Fora Miki ao Fora Povo: Ex-candidatos a prefeito pedem renúncia de prefeito afastado; Pobre Cachoeirinha! 

O assassinato da reputação política de Miki; Prefeito de Cachoeirinha é afastado e chefe do MP fala em mesada e malas de dinheiro

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Emocore Rave

Expansionismo genético Votem no clichê sagrado Em edição americana Sempre haverá uma Salém Ossos no fundo do poço Carne new wave Emocore rave Para o mal Para o bem.

Leia mais »