crise do coronavírus

É um erro ouvir Heinze no Almoçando com Acigra na Gravataí das 919 vidas perdidas; A cloroquina derramada

Erra a Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Gravataí (Acigra) ao convidar Luis Carlos Heinze (PP) como palestrante de seu tradicional almoço. Poderiam ao menos esperar terminar a CPI da Pandemia, onde o senador já restou chamado de ‘Sr. Fake News’ por Randolfe Rodrigues e é o principal defensor do curandeirismo ineficaz do ‘kit covid’, o que reputo o torna cúmplice de mais de meio milhão de vidas perdidas – 919 delas de gravataienses, incluindo o vereador Robertinho Andrade, que era presidente de seu partido e usou o ‘kit covid’, como reportei em Vereador de Gravataí luta pela vida: colega ’medicou-o’; Parem com curandeirismo, por favor!.

O convite, ao custo de R$ 90, para ouvir o político falar nesta sexta-feira no Alvi-Rubro sobre “Cenário político e desenvolvimento do RS”, já provocou reações na aldeia.

– Lamentável a @acigra convidar para o seu tradicional evento, o "Almoçando com a Acigra", o senador @SenadorHeinze. Durante toda a pandemia se mostrou um ferrenho negacionista, sustentando Fake News. Segue sendo uma respeitadíssima entidade, mas errou! – tuitou o jornalista Gabriel Siota Ganzer, do Giro de Gravataí.

– A @acigra convidar o @SenadorHeinze para seu tradicional almoço não significa que a cidade compactue com a homofobia e o racismo contido no discurso do parlamentar. Com este gesto, a entidade não representa a cidade. #desconvidab – postou Luis Felipe Teixeira, do Poder 24H.

– Não adianta nada colocar nota de pesar quando meu tio faleceu, pois fazia parte da entidade, e agora convidar um negacionista que ajudou o vírus desde o começo da pandemia. Quem apanha nunca esquece, Acigra! – tuitou o sobrinho Lucas Denicol, lembrando a perda em consequência da covid de Luiz Leonardo Denicol, o Didio, professor, empresário e diretor da entidade.

Com o convite, repito, inadequado para o momento, a maior entidade da quarta economia do RS permite a percepção de que concorda com o discurso negacionista do senador que foi acionado no Conselho de Ética do Senado pelo colega Alessandro Vieira por possível “disseminação de informações falsas” na CPI da Pandemia, onde o relator Renan Calheiro já admitiu a possibilidade de indiciá-lo no relatório final por “comunicação enganosa em massa”.

É o mesmo político que se tornou caricatura nacional ao ‘denunciar’ a atriz pornô Mia Kahlifa como CEO de companhia de fachada que patrocinou estudo falso sobre uso da cloroquina.

Ainda não tive resposta da mensagem que enviei para a artista que, ao ser citada pelo gaúcho, debochou no Twitter publicando meme com montagem onde prestava depoimento sob os dizeres “a woman of people”.

Perguntei: "Dear @miakhalifa, the Brazilian senator who has always mentioned you in Covid's CPI is going to speak in my city. Got a message for him?"

É Heinze um dos cinco senadores que Maira Pinheiro, a ‘Capitã Cloroquina, disse em live ser do “grupo de apoio” que, nas perguntas a ela na CPI, “chutariam” para ela “fazer o gol”. Ele diz não lembrar, mas, resguardando toda a presunção de inocência, foi uma das ligações captadas para Emanuela Medrades, executiva Precisa, empresa que deu calote de R$ 20 milhões em testes no Ministério da Saúde e ainda assim intermediava a compra da indiana Covaxin com 50% de superfaturamento, e para a qual foram feitos 11 telefonemas enquanto a Pfizer era ignorada.

Em Ao defender 'tratamento precoce', Heinze falseia fatos e distorce dados na CPI da Covid-19, a agência de checagem Aos fatos aponta que Heinze “repetiu informações enganosas de que a cloroquina seria antiviral e responsável, junto a outras drogas sem eficácia comprovada, pela redução da letalidade da doença em regiões do país”.

Clique aqui para ler o estudo, feito antes do escândalo mengeliano de morte assistida da Prevent Senior, tão defendida pelo esquadrão da morte do bolsonarismo durante a pandemia e onde, mesmo com cloroquina e ozônioterapia, perderam a vida a mãe de Luciano Hang e o Dr. Wong.

Antes de concluir, impera o alerta aos desinformados, não aos informados do mal.

– Infelizmente não há nenhuma comprovação da eficácia do ‘kit covid’. Apenas cria uma falsa sensação de prevenção, de que tomar antes ajuda e tomar depois da infecção também. As evidências científicas não recomendam o tratamento com essas drogas, como alertam sociedades científicas nacionais e internacionais – resume o infectologista do Instituto Emílio Ribas e coordenador cientifico da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Sergio Cimerman.

– Só a vacinação e medidas protetivas, como uso de máscara, ajuda a salvar vidas, por diminuir as internações e óbitos, por aplacar a gravidade da doença – concluiu, à CNN, após o deprimente da república apoiado por Heinze dizer em uma de suas lives AlQaeda que contrair o vírus é mais eficaz que a vacina.

Ao fim, poderia também lembrar a repugnante fala de Heinze como presidente da Frente do Agro na Câmara Federal:

– Ali (em setor do governo Dilma) estão aninhados quilombolas, índios, gays, lésbicas, tudo que não presta está ali aninhado – disse, em audiência pública, depois justificando que “as pessoas de bem entenderam o tudo que não presta”.

Mas isso, entendo, não vem ao caso neste artigo: o erro da Acigra está em convidá-lo para palestrar neste momento de pandemia e CPI, quando as palavras tem uma força fatal.

Se a estratégia da direção da entidade é já se aproximar de candidatos ao Palácio Piratini seria mais prudente aguardar o ano eleitoral, até para não submeter o pré-candidato a um inevitável artigo como este.

Gravataí pode ser historicamente conservadora e ter dado 7 a cada 10 votos para o bolsonarismo em 2018, mas é a quarta economia gaúcha, não é Rancho Queimado, ou um “rancho fundo bem pra lá do fim do mundo”, de Chitãozinho e Xororó, para restar tão desconectada da polêmica que causa badalar Heinze e seu curandeirismo neste momento triste que vive o Brasil.

Agora a cloroquina está derramada.

Desconvidar – foi lançada por LFT a hashtag #desconvida – seria uma deselegância que não cometeria a presidente Ana Cristina Pastro Pereira. Pouco ou nada muda, e talvez até esteja fazendo um involuntário favor a alguns, mas minha parte cometerei: não vou.

 

LEIA TAMBÉM

Prefeito Zaffa, não ouça negacionistas: se Câmara barrar, apresente o ’passaporte vacinal’ em Gravataí; A vida não tem partido

Surto assusta Glorinha; Em Gravataí, casos dobram. E segue ’festa da covid’ nas barbas da Guarda

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Emocore Rave

Expansionismo genético Votem no clichê sagrado Em edição americana Sempre haverá uma Salém Ossos no fundo do poço Carne new wave Emocore rave Para o mal Para o bem.

Leia mais »