coluna do silvio

Uma escola à frente do seu tempo

Apesar do viés com foco na tecnologia, a AGTI foi criada com a participação de diversos profissionais da área da educação, que ainda estão dentro do quadro diretor, a começar pela presidente da Associação Selma Fraga que lecionou em diversas escolas de nossa cidade, e o vice-presidente Henrique Gersnter, fundador e ex-diretor da Escola QI, e por conta desta proximidade, os trabalhos geralmente contam com o apoio e parceria das instituições de ensino de Gravataí. 

Recentemente a associação foi convidada pela escola Dora Dimer para participar da elaboração dos planos de estudos das disciplinas relacionadas com a área da tecnologia: Informática e Lógica de Programação, dois componentes curriculares que estarão presente neste ano a partir do ensino fundamental. A AGTI levou alguns esclarecimentos quanto aos conteúdos relacionados, haja vista que esta é uma área que evolui muito rápido, o que faz o currículo precisar de uma atualização constante. 

A escola, que procura estar sempre na vanguarda no tocante a educação, é pioneira no ensino de lógica de programação para estudantes do ensino fundamental, contando com uma prática pedagógica direcionada para crianças, e segue inovando com a introdução do conteúdo de informática inserido dentro do currículo normal. 

Durante a visita, a escola também apresentou um novo modelo de classe hexagonal cujo layout permite dispor não apenas dois, mas qualquer quantidade de alunos da sala conectados em um formato lado a lado, ligando uma classe a outra por três lados diferentes, similar a uma colmeia, criando múltiplas possibilidades de interação. O sistema será utilizado inicialmente nas salas de línguas estrangeiras, considerando que a escola inclui inglês e espanhol desde o sexto ano do ensino fundamental. As novas classes também poderão ser utilizadas em uma sala modelo compartilhada com diversos professores, para que possam avaliar na prática os benefícios da novidade. 

Outra inovação está no fato da escola contar agora com uma área de produção de mídia, com direito a luzes, câmera e muita ação.

– A Sala Med Lab é de uso comum a todas as turmas e incentivamos os professores para que realizem trabalhos com o uso destas tecnologias, que faz parte desta geração conectada e que não tem medo de estar à frente ou atrás de uma câmera, e que vislumbram trabalhos que até 10 anos atrás sequer existiam. Cabe a nós, como escola, oferecer as possibilidades para que isto possa ser uma realidade para nossos alunos – afirma a diretora Maria Luiza Dimer, que mantém uma postura de constante atenção às novidades passíveis de serem implantadas na escola, tal qual a impressora 3d que já está na escola e poderá ser disponibilizada em breve para os alunos receberem mais este conhecimento.

– Temos realizado investimentos buscando oferecer ao aluno um conhecimento empírico, realizando uma conexão entre a teoria com a realidade prática que ele vai encontrar, seja através de analogias do cotidiano deles ou mesmo através da prática direta, quando isto é possível – disse a diretora, enquanto apresentava a sala "Maker", uma área onde os alunos realmente colocam a "mão na massa" e realizam experiências que vão muito além da área de um quadro verde.

A escola que sempre elege o aluno como protagonista das ações, assume ela mesma esta posição em nossa região ao preparar e formar indivíduos integrados a nossa sociedade, não apenas para o hoje mas para o que está reservado no futuro. A geração adulta atual pode estar perdida de forma irremediável, mas é exatamente este tipo de trabalho que ainda me faz acreditar que a nova, que está chegando, ainda pode ser o Brasil que a gente não conseguiu ter.

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade