a coluna da jeane

Pequenas e grandes vitórias

Consegui lavar as mãos. Depois de quatro meses, consegui botar a mão esquerda embaixo da torneira e lavar as mãos esfregando as mãos uma na outra, como se deve. Parece uma coisa tão banal… mas quando a gente perde a capacidade dessas pequenas coisas, cada habilidade que se recupera ganha outra dimensão.

Esse progresso foi possível porque estou conseguindo ficar cada vez mais tempo sem a tipoia. Ainda não fui liberada oficialmente porque ainda estou aguardando a avaliação para microcirurgia. Mas foi ficando insuportável usar a tipoia nesse calorão, então comecei a dar uns momentos de “refresco” para o braço. Desde então, aconteceram vários pequenos avanços.

Estou conseguindo ficar com o braço solto sem dor!

Consegui passar fio dental quase normalmente! Calma, não fiquei com os dentes sujos nesses meses, usei aquele fio com suporte (parece um garfinho), mas não é a mesma coisa.

Consigo varrer meu quarto!

Consigo segurar a câmera fotográfica com as duas mãos!

Quase consegui fazer a postura da árvore da yoga! (O quase é porque o braço não fica reto, nem sobe direito.)

Consigo segurar meus moldes para riscar!

Estou conseguindo costurar sem dor!

Consegui fazer cartões de Natal com feltro e pintura! Vou descobrindo jeitos de segurar o papel mesmo com a mão torta.

Consegui embrulhar sozinha os presentes de Natal!

Consigo fazer laços para fechar os pacotes!

Consegui decorar biscoitos natalinos, segurando o biscoito com a mão esquerda para botar glacê e confeitos com a direita!

Consegui ajudar a limpar o pátio da chácara, juntando folhas com o ancinho!

Consegui fazer brinquedos de sucata para minha amiguinha Júlia!

Consegui alongar com os braços pra cima, embora o esquerdo não fique reto!

Consegui juntar as mãos nas costas! (Isso dói um pouco, mas mesmo assim é uma alegria.)

Consegui lavar um pote de plástico e três talheres! Fiquei com medo de arriscar as louças de vidro, mas já foi um passo.

Consegui caminhar até o centro! Voltei de Uber (porque depois de quatro meses de sedentarismo, caminhar meia hora já é bastante coisa), mas fiquei muito feliz de poder ser mais ativa.

Consegui espremer um cravo do rosto! Requer um esforcinho, mas é tão bom conseguir levar a mão esquerda ao rosto…

Consigo segurar cada vez mais coisas com a mão esquerda!

Consigo abraçar a mim mesma! E foi emocionante fazer esse gesto no Sarau das Minas, enviando abraços para as amigas poetas. Temos um ritual ao fim de todo sarau, de fazer coraçãozinho com as mãos… O coração ainda não consigo, mas pude enviar abraços!

Consigo cortar a comida sozinha! Consigo segurar o garfo com a mão esquerda! Consigo segurar a xícara com a mão esquerda!

Cada coisinha dessas é uma alegria inexplicável. Acho que é como renascer aos pouquinhos. E ainda tenho estrada para percorrer nesse processo de reabilitação. Mas já me sinto tão presenteada por estar conseguindo fazer tanta coisa!

Natal é celebração da vida. Num ano de tantas perdas, temos que celebrar mais ainda por estarmos vivos e com saúde, apesar da pandemia. Meu coração está cheio de gratidão a Deus e ao universo por me permitir estar junto da minha família no meio desse 2020 atribulado.

Faz tempo que, aqui em casa, dezembro é mês de três natais: o meu (dia 5), de Jesus (dia 24) e do meu irmão (dia 26). Agora serão quatro natais, porque dia 2 nasceu o Gael, nosso pacotinho de amor.

Na verdade, podemos contar seis natais. Foi num 26 de dezembro, há 3 anos, que meu pai recebeu o marcapasso que tem feito seu coração bater direitinho (esperamos que por bastante tempo!). E no ano seguinte, no início do mês, foi meu irmão quem nasceu de novo, ao passar por uma cirurgia muito delicada na coluna.

Muita vida a ser celebrada nesses dias! Em família, sem aglomerações. Sem os abraços apertados que eu gostaria, mas juntos, partilhando a ceia e a alegria de poder estarmos perto. Abençoados. Porque se Jesus nasce todo Natal para nos trazer a mensagem de que a vida é uma benção, ter um menino nascendo na família pouco antes das festas é ver essa mensagem materializada.

Vai ser um lindo Natal na família Jesus (é o sobrenome do meu pai!).

Que todos possam ter um lindo e abençoado Natal. Celebrem a vida (Com responsabilidade e sem aglomerações)!

E que 2021 nos traga boas notícias!

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade