os nossos caminhos

O inevitável… o lixo… o simples

Inúmeras vezes nos encontramos em situações em que procuramos fazer até mais do que está ao nosso alcance e ainda assim não conseguimos encontrar as saídas que tanto buscamos.

Todos os caminhos parecem estranhos e confusos, não se tem um momento de paz e tranquilidade, nos sentimos aprisionados e a única explicação que encontramos é a de que o destino está agindo em nossa vida.

Na verdade, tudo o que está acontecendo é o resultado do que pensamos, fizemos e construímos ao longo do tempo. As armadilhas que criamos dentro e fora de nós mesmos se fazem insuportavelmente presentes nestes momentos.

É preciso encarar os fantasmas de frente, concentrar-se na mudança e colaborar com o inevitável. Será um longo caminho até compreender que tudo foi criado por nós, embora seja infinitamente mais prático e cômodo aceitar humildemente que a força do destino está atuando em nós.

Paralisado, inerte, inanimado, fica-se apenas a esperar, pois, o céu vai oferecer os instrumentos ideais para encontrar as soluções. A vida nos nega o que é tão ardentemente desejado e não é culpa de ninguém…

A maior dificuldade é com relação à mudança de consciência, da mudança de foco, em que o mais difícil é decidir não até quanto queremos, mas até quanto precisamos. Nem que para isso seja necessário trazer à superfície coisas profundas, negadas e que podem estar aparentemente esquecidas a vida inteira.

Deve-se trazer à tona o lixo que esteve enterrado ao longo dos anos por debaixo do jardim de flores. O lado obscuro vai se tornando aos poucos cada vez mais evidente. O penoso processo que vai fazer sofrer, chorar, negar, xingar, debater, e finalmente compreender e aceitar que ninguém pode nos resgatar a não ser nós mesmos.

A partir desse importante resgate, adquire-se de forma cristalina, a percepção de que nos ciclos que vão compondo as nossas vidas, nada é para sempre e tudo se renova. É melhor viver a realidade de forma positiva, com vibração, interagindo com tudo e com todos e não como se houvesse falta de sal, falta de cor ou falta de encanto em tudo.

Fazer do hoje, pelo menos, um pouco melhor do que o ontem. Mesmo que as derrotas tenham deixado marcas e que as feridas ainda tragam dor, ainda assim, temos a possibilidade de reagir e de fazer de nossos dias, algo de muito bom, cheio de expectativas positivas e de esperanças renovadas.

É só parar para pensar e perceber que a vida é muito simples: o que se planta é o que se colhe. Os pensamentos configuram as emoções, que desenvolvem as ações, que formam a história de cada um.

Simples demais!

Nas turbulências do dia a dia acabamos deixando esse entendimento de lado, tornamos tudo muito mais difícil e complicado, à medida que sofremos pelo passado que deixou de existir, queremos antecipar o futuro que ao seu tempo irá chegar, qualquer contrariedade acaba se tornando um grande problema, reclamações, conflitos internos misturados com discussões e brigas e assim vamos nos acostumando ao caos criado por nós mesmos.

A vida só não é mais interessante porque a gente não deixa!

 

Para refletir…

 

“Quando você muda o seu modo de pensar, mudam suas crenças. Quando você muda suas crenças, mudam suas expectativas. Quando você muda suas expectativas, muda a sua atitude. Quando você muda sua atitude, muda o seu comportamento”.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade