a poesia do cidade

Um Tom Sem Tom

Uma rima de escancarar coração

De ouro

Arpão

Ferrolho

Tudo se acabou

No olho por olho

Um adeus na estação

Ouvindo um samba de dor

 

Mansa chuva

Tão triste quanto o céu

Que a fênix recebeu

 

Um cordel em papiro

Um salmo de uva

Um mantra bênção

De um vampiro

Caboclo eu

Caboclo tu

Na medida da vida

Tudo se ajeita

Conforme o amor nos aceita

Com o nome de compaixão.

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade