coluna do cidade

Poema Que Me Veio Enquanto Enio Santo Me Tatuava

Felino banido

Já não lhe vejo

Fugido

Lhe vejo assentado

Cimentado em desejo

 

Felino banido

Já não lhe vejo

Hospedado em orgia

Eu lhe vejo

Com a língua

Baldear

A saliva que lhe cai

Ao queixo.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade