a poesia do cidade

Mana mana

Remonta tua casa

Das flamas do esquecimento

Não tema a beleza

A tristeza é obscena

A beleza é só a beleza

Um truque de cena

Os rendimentos do tempo

Nos farão eternos

Então sejamos ternos nesse momento

Amor de impulso pulso a pulso

Do suave coração

Silogismos de paixão

Para mudanças

De formosa eternidade.

 

Assista ao vídeo-poema Eu curto vacina/eu curto viver

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade