nossa história

A história de Gravataí em fotos

O historiador Amon da Costa, a professora Ângela Fonseca e o técnico contábil Julinho Barbosa em ação 

Foi lançado nesta sexta o projeto Retratos de Gravataí, que consiste na produção e organização de um livro, que contará a história da cidade por meio de fotografias do cotidiano. O trio de pesquisadores e organizadores do projeto conta com o professor de história Amon da Costa, (43) a
professora Ângela Fonseca (65) e o técnico contábil Julinho Barbosa (68). 

A ideia surgiu da vontade de ver um pouco da nossa história organizada em um livro, através de fotos históricas com as memórias de família e o cotidiano de mais de um século de imagens. A provocação de escrever um livro surgiu do professor Amon em um bate-papo com Ângela e seu esposo Júlio Barbosa, um dos personagens mais conhecidos da cidade, chefe escoteiro e autodeterminado “retratista,” um dos guardiões da memória da cidade.

– Isso já vem de berço, meu pai o Antônio Soares da Fonseca, como o meu avô Ernesto Fonseca, guardava registros e fotos de momentos significativos da cidade, contava muitas histórias, escrevia muita coisa, só com as fotos do acervo da família já daria para escrever boa parte da história da nossa cidade – conta Ângela Fonseca.

A pesquisa começou informalmente no mês de agosto de 2021. O projeto de livro possui uma linha do tempo e páginas temáticas do cotidiano da nossa cidade, com fotos de 1879 até os dias de hoje. O eixo central da narrativa é o cotidiano da cidade, suas festas, religiosidade, casamentos, carnavais, escolas, passeios familiares, lugares, paisagens e a transformação urbana com o passar das décadas.

O projeto Retratos de Gravataí em sua primeira etapa vai visitar as famílias e fazer uma seleção das fotos dos arquivos pessoais. 

– Existe uma quantidade enorme de fotos e memórias paradas nas gavetas e caixas das famílias de Gravataí, o nosso livro contará parte da história visual, é uma lástima que não se imprima ou revele mais as fotos atualmente, muita coisa vai se perdendo na era digital – explica Julinho Barbosa.

Neste momento de pandemia, o trio de pesquisadores vai organizar com todo o cuidado a visita às pessoas que se dispuserem a socializar as fotos e suas histórias para incluir no livro. Outra forma de participar do projeto da construção do livro é a disponibilização e a troca de fotos via redes sociais e aplicativos de mensagens.

O cotidiano do projeto será registrado no https://www.facebook.com/retratosdegravatai.

O projeto vai buscar patrocínios na iniciativa privada, comércio local, vakinhas virtuais e editais de financiamento da cultura para a publicação do livro de fotografias históricas. 

No cronograma do projeto Retratos de Gravataí o objetivo inicial é lançar o livro em agosto de 2022, tudo vai depender do caminhar das pesquisas e da participação da comunidade de Gravataí.

– É um livro coletivo, é um projeto que vai envolver muita gente, convidamos todo mundo a mexer nas caixas de fotos e falar conosco para registrar a memória da sua família na história da cidade – convida Amon da Costa.

Os organizadores veem o projeto como um presente para a cidade: "Vamos mexer com o sentimento e as emoções mais profundas das pessoas da nossa cidade, será um livro feito com muita dedicação, pesquisa e respeito pelas imagens dos nossos antepassados.

Para mais informações e-mail do projeto: retratosdegravataí2022@gmail.com

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade