Começou o ano

CANOAS | Segunda passagem e socorro à Sogal: o que nos reserva a segunda-feira

Prefeito Jairo Jorge assinou decretos ainda na tarde de sexta, 1º, dia da posse. Foto: Matheus Thomaz

Primeira segunda-feira útil de 2021 terá o transporte público como tema, mas não só isso

Canoas pode ver hoje, 4, o ponto final na greve dos rodoviários que paralizou completamente o transporte público no Natal e só foi retomado antes do Ano Novo graças à uma medida liminar aceita pela Justiça, ainda assim parcialmente. A categoria segue mobilizada e sem receber o 13º do ano passado, horas extras e diferenças no vale refeição.

 

LEIA TAMBÉM

CANOAS | CANOAS | Em sete horas de discussão, Câmara aprova reforma e primeiras medidas do governo JJ

CANOAS | Jairo Jorge, dia 1

 

As negociações com a Sogal restaram infrutíferas – até agora. Ainda na sexta-feira, 1º, dia da posse do novo prefeito, Jairo Jorge (PSD) disse que o governo estava disposto a comprar o equivalente a R$ 1,2 milhão em passagens para serem usadas em um novo programa de amparo à desempregados do município. O valor, segundo o prefeito, é suficiente para quitar os atrasados com os funcionários e estaria condicionado à um acordo entre a empresa, motoristas e cobradores para por fim à greve.

Ainda no final de semana, o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Marcelo Nunes, via a ideia com ceticismo. "A empresa tem mostrado problemas de gestão e ainda temos a pandemia. Nada nos garante que ao longo do ano não volte a atrasar. Mas se é essa a soluação encontrada", disse, em conversa com o blog.

 

Segunda passagem grátis

Se acordo com informações divulgadas no final de semana pela assessoria da Prefeitura, o prefeito Jairo Jorge também assinou um decreto que reaviva a segunda passagem grátis para usuários do transporte coletivo de Canoas. A medida passa a valer a partir de março e garante ao passageiro o não pagamento da segunda tarifa se utilizar o ônibus no mesmo sentido em até 90 minutos depois do primeiro.

Secretário de Transportes, Francisco da Mensagem acredita que a ideia ajude a conter a migração do transporte tradicional para os de aplicativos. "Ao final, a população terá 90 minutos para ir e voltar, para o que for fazer, ao custo de uma passagem. Atualmente, sem a gratuidade, esse custo tem sido muito alto. E se formos avaliar, isso vai ajudar até a própria empresa, pois o cidadão vai optar mais pelo ônibus, e não pelo carro de aplicativo, que hoje acaba saindo muito mais barato", ponderou.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade