Crise no transporte

CANOAS | Reunião no MP termina sem acordo para trabalhadores da Sogal; amanhã é com o prefeito

Audiência com o MP não resolveu acordo e rodoviários seguem em estado de greve em Canoas. Foto: Divulgação-Sindicato

Sindicato, empresa e Ministério Público tentaram evitar a 'Canoas sem ônibus no Natal', mas acordo não deu certo

 

Segundo o Sindicato dos Rodoviários, a empresa ofereceu o pagamento do 13º em quarto parcelas, de janeiro a abril. Diferenças de ticket e horas extras ficariam para maio. Marcelo Nunes, presidente da entidade, comenta que não houve menção aos depósitos atrasados nas contas do FGTS nem de pensões que estariam também com atraso nos pagamentos.

LEIA TAMBÉM

URGENTE | Rodoviários fazem assembleia: greve na pauta; Canoas sem ônibus no Natal

CANOAS | Em nota aos funcionários, Sogal questiona assembleia de greve e culpa prefeitura pela crise

 

"Não houve acordo. Não avançou em nada e o movimento segue", avisa Marcelo. Durante toda a segunda-feira, o transporte coletivo em Canoas operou com frota mínima. Entre 9h e 12h, a maioria dos ônibus ficaram estacionados ao longo da Avenida Victor Barreto, no Centro da cidade. "Terça vamos repetir a ação", avisa o presidente do Sindicato.

Às 11h da manhã desta terça, 22, uma nova reunião entre trabalhadores e a empresa está marcada. Desta vez, com a mediação do prefeito Luiz Carlos Busato (PTB). Se um acordo ainda não for possível, na quarta o transporte pode parar de vez já que o edital que informa sobre a greve terá cumprido o período de 72h para negociações antes da paralização total.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade