Coronavírus

CANOAS | Prefeitura compra 32 mil testes para Covid-19; sem estoque para seguir a pandemia

Compra de testes rápidos vai repor os exames nos hospitais e postos de saúde da cidade. Foto: Agência Brasil

Prefeito diz que recebeu governo sem estoque suficiente de testes para acompanhar casos de Covid-19 nos primeiros dias de janeiro

O prefeito Jairo Jorge (PSD) assinou nesta quarta-feira, 6, um pedido de compra de 32 mil kits de testagem para Covid-19. Segundo ele, o novo governo recebeu em 1º de janeiro apenas 250 testes, quantidade insuficiente para acompanhar a evolução da doença na cidade nos primeiros dias de janeiro.

 

LEIA MAIS

CANOAS | Os quatro pedidos de Jairo Jorge ao governador na primeira conversa sobre a pandemia

CANOAS | Auditoria na Saúde deve ser feita por equipe externa

 

O governo vai aderir a um ata de preços do Consórcio Público do Extremo Sul, que reúne municípios da Zona Sul do Estado e tem sede em Pelotas. O valor total da compra chega a R$ 479 mil, composta por 20 mil testes sorológicos rápidos do tipo IGG e IGM, 10 mil do tipo Swab (que precisa ser levado ao laboratório para análise) e outros 2 mil testes Antígenos, mais rápidos para identificação dos positivos e com maior nível de confiança. Com o novo estoque, além dos hospitais, as UPAs e unidades de saúde vão também ter o exame disponível.

"Além dos kits, vamos também agir no sentido de rastrear o contágio. Estamos conversando com universidades, já falei com a UFRGS e a Ulbra a respeito disso, para que possamos utilizar alunos nesse trabalho", adianta.

O prefeito de Canoas vem defendendo testagem e rastreamento como forma identificar melhor o comportamento do contágio na cidade. "Estamos preparando um mapa epidemiológico para identificarmos as regiões onde a incidência é maior, onde é preciso uma ação mais específica, por exemplo. Até agora, Canoas não tinha um sistema para gerenciar esses dados, tudo estava no papel", revela.

Desde a quarta-feira, a Prefeitura já vem divulgando dois boletins diários dos novos casos de Covid-19. O primeiro deles traz o número de casos, óbitos e recuperados; o segundo, a ocupação de leitos hospitalares e UTIs. "Tivemos que praticamente entrar nos hospitais e contar as UTIs que tínhamos por lá", diz o prefeito, que há uma semana havia relato uma divergência entre o número informado de UTI para Covid até o final do ano e a que estava posta nos hospitais.

No boletim de quarta-feira, Canoas apresentava 43 leitos de UTI para pacientes com Covid-19.
 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade