Novo governo

CANOAS | Jairo quer sobra de recurso da pandemia para comprar vacina contra Covid

Jairo e Felipe Martini falaram em live sobre falta de informações na transição. Foto: Reprodução

Prefeito disse que faltou informação na transição, pede que recurso da Saúde fique em caixa para compra da vacina e marca reunião do novo secretariado para anunciar ações dos primeiros 100 dias

Terminado o anúncio do novo secretariado, o prefeito eleito Jairo Jorge (PSD) conversou com o Seguinte: sobre o fim do período de transição, a composição do governo e as primeiras medidas de sua terceira gestão à frente da cidade. 

 

LEIA TAMBÉM

CANOAS | Jairo anuncia secretário em live; técnico e sem vereadores no primeiro escalão

CANOAS | Em nota aos funcionários, Sogal questiona assembleia de greve e culpa prefeitura pela crise

 

Confira, em tópicos, o resumo da conversa.

1.
Montagem do governo: 2020 é mais difícil que 2008?

"Estou mais experiente, temos ótimos quadros, novas lideranças. Deste vez foi mais fácil", comenta o prefeito eleito. "Tivemos um forte critério técnico na escolha dos colaboradores, mas o elemento político está presente".

2.
Vereadores eleitos fora do primeiro escalão

"Acredito que os veredores foram eleitos para uma missão", diz Jairo. "Vamos trabalhar muito com a Câmara, tenho respeito pela função dos vereadores. Tanto eu quanto o Nedy (vice-prefeito) fomos vereadores. Relação com a Câmara será muito boa".

3.
PDT e PTB são oposição: política não é mingau

Sobre as conversas que manteve com o vereador Márcio Freitas (PDT), o mais votado de 2020, Jairo garante que não se estenderam à uma aproximação com o partido. "Política não é mingau. Não dá para misturar tudo. As urnas indicaram que o PTB e o PDT são oposição. Minha relação com o vereador Márcio Freitas é pessoal. Ele me apoiou no segundo turno em razão disso".

4.
E Valter Nagelstein?

"É um quadro do partido na Capital, foi vereador, secretário municipal, vai certamente trazer experiência para o governo, não só no CanoasPrev, mas em outras áreas também", comenta. "Ali, precisávamos de uma pessoa com capacidade administrativa e zelo. Inclusive para questões da previdência, mas também para gestão e transparência do instituto".

5.
Beth Colombo de fora

"Escolha dela, não nossa. O Republicamos indicou o César Augusto e o Denílson Santos, com quem eu já tinha trabalhado antes", informa. Beth Colombo será candidata a deputada estadual em 2022 e preferiu não compor o governo para não ter que sair a meio caminho.

6.
Primeira reunião

"O primeiro encontro do secretariado será nesta quarta-feira, quando passaremos os dados que dispomos de diagnóstico do governo e orientações. Cada colaborador deverá conversar com o atual ocupante do cargo para fazer uma transição mínima nestes dias que ainda restam antes da nossa posse", adianta Jairo. "A primeira reunião do secretariado já empossado será no dia 2, quando definiremos as ações para os primeiros 100 dias de governo".

7.
Poucas informações

Jairo Jorge e, antes dele, Felipe Martini, disseram que a equipe de transição teve muitas dificuldades para obter informações sobre o atual governo. "Não tivemos ainda uma projeção sobre restos a pagar, cargos em comissão, números diversos. Acesso à informação deve ser um direito de todos. Fiz isso em 2016, quando entregamos o governo, com muita transparência, e não estamos tendo agora", afirma Jairo. "Mas não tem problema. O que não tivermos informação agora, teremos em janeiro, ao assumirmos".

8.
Fundo para vacina

Entre as informações que receberam, a equipe de transição soube que Canoas obteve R$ 106 milhões de recursos extras para combate à pandemia de coronavírus. Ao longo de 2020, foram gastos R$ 93 milhões. Jairo quer este recurso em um fundo para aquisição de vacinas no ano que vem. "Esses R$ 13 milhões tem que servir para o combate à pandemia. Nada mais justo que sejam reservados desde já para compra da vacina. Já reservei através da Granpal a compra de 400 mil doses, suficientes para imunizar 200 mil canoenses", conta. "Claro que vamos trabalhar para que o governo federal compre a vacina, para que o governo do Estado compre a vacina, mas se não for, não vamos ficar de braços cruzados".

9.
Auditoria na Saúde

Jairo voltou a dizer que fará uma auditoria nas contas do governo, em especial na Saúde. "Já vinha falando sobre isso na campanha e vamos fazer".
 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade