Vacinação

CANOAS | Granpal defende antecipar vacina a profissionais da educação; .plano B pode ser a compra do imunizante

Jairo Jorge passou do encontro com prefeitos da Região Metropolitana com secretário de Educação do Estado, Faisal Karam. Foto: Divulgação/Granpal

Atualmente, professores e servidores de escolas estão na quarta fase. Imunização mais cedo elevaria segurança no retorno às aulas

 

Prefeitos das cidades que integram o Consórcio dos Municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre (Granpal) deverão procurar o Ministério da Saúde, nos próximos dias, para buscar a antecipação da vacinação dos profissionais da Educação. A intenção é que eles passem a integrar a Fase 2, junto das pessoas com idade entre 60 e 74 anos. O assunto foi discutido na manhã desta quarta-feira (10), durante encontro na sede da Granpal, em Porto Alegre.

 

LEIA MAIS

CANOAS | A especulação que põe Eduardo Leite e Jairo Jorge sob o mesmo 'guarda-chuva' partidário

CANOAS | O dia em que o governo Busato ajudou Jairo Jorge; o crime que cai

 

Atualmente, professores e servidores de escolas estão na quarta fase, ao lado de membros das forças de segurança e salvamento e de funcionários do sistema prisional. Com a antecipação da imunização de quem atua nas instituições de ensino, as prefeituras elevariam a segurança no retorno às aulas.

“Nossa principal reivindicação é a imunização de todos os profissionais da educação das redes estadual e municipal. Para que possamos começar o ano letivo de 2021, precisamos dar esse passo. Assim, os profissionais poderão exercer seu trabalho com maior segurança e preservaremos a vida das pessoas”, defendeu o presidente da Granpal e prefeito de Nova Santa Rita, Rodrigo Battistella.

O secretário estadual de Educação, Faisal Karam, esteve presente na reunião e segue a mesma linha em defesa da reabertura das escolas. Faisal colocou a estrutura da Secretaria da Educação à disposição dos municípios para a formulação de protocolos eficientes no retorno às aulas.

A partir da reunião com os prefeitos, o governo do Estado atuará ao lado da Granpal nas articulações junto ao governo federal. 

“Precisamos pensar no aluno. Os estudantes não têm mais condições de permanecerem afastados da sala de aula. Nesse sentido, o diálogo com os municípios é fundamental”, afirmou Faisal.

Os prefeitos sugerem ainda um Plano B, caso a União se mantenha irredutível e não permita a alteração na ordem de imunização. “Nesse caso, pediremos ao governo do Estado que articule para que os municípios que desejarem, e tenham capacidade financeira, possam comprar as doses e vacinem seus professores”, adiantou Battistella.

Jairo Jorge, prefeito de Canoas, já vinha defendendo a compra dos imunizantes como forma de dar velocidade ao ritmo da vacinação. O Ministério da Saúde, no entanto, concentrou a aquisição das doses para que houvesse uma distribuição controlada da vacina.

Também participaram da reunião os prefeitos de São Leopoldo, Ary Vanazzi; de Triunfo, Murilo Machado Silva; as vice-prefeitas de Guaíba, Cláudia Jardim; e de Sapucaia do Sul, Imilia de Souza; além da secretária-adjunta de Educação do Estado, Ivana Flores.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade