Transporte

CANOAS | Com leilão de antiga garagem no Centro, demitidos da Sogal vão receber atrasados

Ação contra o patrimônio da empresa não chegou a atingir a frota da Sogal dessa vez. Foto: Arquivo

Leiloeiro confirmou venda de terreno da empresa de ônibus no Centro de Canoas pelo valor de R$ 1,3 milhão

A solução negociada não deu. A pressão não deu. Mas, na Justiça, deu e, na semana que vem, os demitidos da Sogal devem receber os valores referentes as parcelas de dezembro e janeiro do acordo firmado para deixarem a empresa. O advogado do Sindicato dos Rodoviários entrou com a execução do acordo, que previa o leilão de bens para honrar o compromisso com o demitidos e um terreno no Centro de Canoas foi vendido.

Agora, a antiga garagem da Sogal passa a ser propriedade de outro investidor.

 

LEIA MAIS

CANOAS | Estado envia mais mil doses de vacina para Canoas

CANOAS | Quem é o Grupo Ultra, a holdin por trás da compra da Refap

 

Os trabalhadores vinham desde o início do mês em uma queda-de-braço com a empresa pelo pagamento da parcela de dezembro, que venceu no dia 30. De lá para cá, foram ao sindicato e até em frente ao gabinete do prefeito Jairo Jorge (PSD). A pressão política no governo, no entanto, desagradou o restante da categoria que viu na atitude uma conivência com a empresa ao jogar no colo da administração do município uma responsabilidade que cabia à própria Sogal.

Com o leilão, a tendência é que o problema de resolva por pelo menos quatro meses, segundo a expectativa de um dos demitidos que prefere não se identificar.

A Sogal, como de costume, não comentou o assunto.

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade