política

Vereadores Dila e Bino pedem mandatos na justiça por perseguição política do PDT de Gravataí; Anabel pressiona por expulsão

Vereadores Bino Lunardi e Dilamar Soares, na Câmara de Gravataí

Os vereadores Dilamar Soares e Bino Lunardi pedem ao Tribunal Regional Eleitoral desfiliação por justa causa do PDT de Gravataí. Anabel Lorenzi, presidente da comissão provisória e que ameaça os parlamentares de expulsão por infidelidade partidária devido aos votos favoráveis à reforma da previdência, foi citada nesta terça-feira.

Reputo teremos na Câmara a bancada dos independentes. O principal pilar da acusação é também a principal defesa de Dila e Bino.

Antes vamos às informações e links.

O Seguinte: teve acesso a todas as peças da Ação de Justificação de Desfiliação Partidária/Perda de Cargos Eletivo 0600210-76.2021.6.21.0000 e a prints do grupo de WhatsApp da executiva do PDT onde, após a notificação, Anabel pressiona integrantes a assinar o pedido de expulsão.

A presidente tem cinco dias para apresentar a defesa. O desembargador eleitoral Gerson Fischmann não aceitou o pedido de liminar para garantir a liberação dos mandatos antes do julgamento de mérito, feito pelo advogado José Luís Blaszak, que em 2019 já inocentou Dilamar e os vereadores Bombeiro Batista e Dimas Costa no caso das candidaturas laranja, que tratei em uma série de artigos como Bombeiro, Dilamar e Dimas livres; TSE inocenta vereadores de ‘candidatas laranjas’.

Clique aqui para ler toda a ação, que traz além da argumentação jurídica para atestar perseguição política, uma série de anexos com vídeos, trocas de mensagens de WhatsApp, posts em redes sociais e artigos deste jornalista como PDT em chamas: ’Foi um erro excluir vereadores. Vamos refazer diretório de Gravataí’, diz presidente estadual; A lipo na barrigada e PDT em chamas: Anabel alega falha de comunicação para exclusão de vereadores do diretório; Miguelina, a fiadora canhotaPDT cogita expulsão de vereador de Gravataí; Na Cova de Touro e Gestão de Anabel é desastre político no PDT de Gravataí.

Clique aqui para acessar a intimação da presidente.

Clique aqui para ler um dos prints em que Anabel pede aos integrantes da executiva que assinem o pedido de expulsão.

Ao fim, por um daqueles Grandes Lances dos Piores Momentos é que antecipo que Dilamar e Bino ganharão seus mandatos. Acontece que a mesma argumentação apresentada pelos vereadores, quando apresentada no pedido de expulsão pela direção do PDT, absolve os dois.

No principal pilar do pedido dos mandatos Dila e Bino relatam:

“…

Quando aconteceu a votação em primeiro turno, da reforma previdenciária, foi convocada uma reunião da executiva municipal, com os 14 (catorze) membros da Executiva, para formar questão ou liberar a bancada para votação.

O vereador Dilamar fez lembrar a sua condição para filiação no partido requerido tocante a esta matéria da reforma da previdência, o que fora ignorado pela direção municipal.

Ao fim dos debates, a proposta defendida pelo vereador Dilamar, da liberação da bancada para o voto à reforma da previdência foi vencedora por 7 a 6.

Com a saída da filiada Rosane Bordignon, a executiva que antes era formada por 15 (quinze) membros passou a ser composta por 14 (catorze) membros. A presidente só tem direito a voto em caso de empate, o que não ocorreu.

Para surpresa, a então presidente Anabel Lorenzi, não aceitou o resultado do debate interno e quis fazer valer o seu voto, que deveria ter efeito apenas para desempate.

O debate, então se prolongou por cerca de mais duas horas. Nesse tempo, por meio de novas falas e mensagens de whatsapp, a presidente Anabel tentou fazer alguém mudar o seu voto, porém, sem sucesso. Portanto a votação final interna do Partido PDT Gravataí foi de 7 votos a 6 votos favoráveis à reforma da previdência.

A ata da referida reunião tem sido negada ao Vereador DILAMAR DE SOUZA SOARES, em que pese o pedido formal, conforme Doc. 12.

Cabe destacar que, mesmo não fazendo parte da executiva, o vereador Bino e o vereador Thiago de Leon, estavam presentes como convidados e ambos defenderam o direito da liberação do voto para a bancada.

E assim, os vereadores requerentes votaram pela aprovação da reforma da previdência!

A partir de então, após a votação pela da reforma da previdência, medida saneadora das finanças do Município de Gravataí, garantindo a aposentadoria e os salários em dia dos servidores, os vereadores requerentes Dilamar de Souza Soares e Albino Lunardi passaram a ser agredidos e expostos publicamente via redes sociais e na imprensa pela executiva municipal do Partido PDT Gravataí, conforme se atesta por meio das postagens a seguir colacionadas.

…”

 

LEIA TAMBÉM

Os ’contras’ de Gravataí aprovarão reforma da previdência em Canoas; O doce sabor da oposição e a ’ideologia dos números’ dos governos

Uma Reforma da Previdência para salvar não só aposentadorias, mas investimentos por 20 anos em Gravataí; A Falha de San Andreas

Aprovada Reforma da Previdência de Gravataí: ’Outsider’ Zaffa deu aula de política; ‘É vitória da sociedade’

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade