política

Vereador arrependido em Gravataí: Deadpool quer voltar a ser Juliette; O Pequeno Príncipe e a ’pauta-bomba da Sogil’

Fernando Deadpool foi eleito para seu primeiro mandato com 2.162 votos

Você é eternamente responsável pelo que cativas.

(O Pequeno Príncipe, de Saint-Exupéry).

Fernando Deadpool (DEM) experimenta a mensagem clássica do ‘livro das misses’. O vereador de Gravataí ajudou a alimentar a antipolítica, os haters de páginas de Facebook e a cultura do cancelamento no micromundo da aldeia e, agora, ao ser mandado para o paredão, desespera-se para voltar a ser Juliette – como o são, hoje, políticos de oposição que votaram contra a ‘pauta-bomba da Sogil’.

Explico.

Após ser praticamente condenado à morte política no Grande Tribunal das Redes Sociais, Fernando Deadpool se afastou do governo Luiz Zaffalon (MDB), como tratei em Fernando Deadpool saiu do grupo; Vereador de Gravataí desligou-se de WhatsApp da base de Zaffa.

Neste sábado foi ao pico do ibope dos Grandes Lances dos Piores momentos ao postar vídeo pedindo desculpas por ter votado a favor do subsídio de R$ 5 milhões para o transporte público para manter as passagens congeladas em R$ 4,80.

– Pensei que o melhor para todos seria o congelamento da passagem, através do valor aportado pelo município. Mas NÃO! O melhor para nossa cidade é cuidar de quem tem fome, do pequeno empresário que está quebrando, e por fim, que a SOGIL VÁ EMBORA DE GRAVATAÍ! – escreveu, junto a um vídeo no qual comete inclusive xingamentos a executivos da empresa.

CLIQUE AQUI para ler assistir, sem a chance de desler ou desver, e caso o vereador ainda não tenha deletado, como fez em vídeo anterior no qual defendeu a aprovação da ‘pauta-bomba da Sogil’.

E também como reportei na polêmica Na estreia, Fernando Deadpool detona vereadores de Gravataí; Não pode nomear a namorada e Vereador Deadpool: ‘Não tornarei a atacar a casa que faço parte’; As desculpas, quando apagou postagem com crítica colegas .

Inclusive, se o termômetro for novamente o caça-cliques, Fernando Deadpool vai apagar o video-desculpa de ontem, já que foi atropelado por uma maioria de comentários desfavoráveis.

Fato é que seu ‘Grande Eleitor’ foram as redes sociais, não só pela simpatia ao seu digno trabalho de vender pão nas ruas e reverter parte dos lucros para sua faculdade de Educação Física e doação de cestas básicas, mas também porque foi um crítico da política e dos políticos.

Por exemplo, com coraçõeszinhos de apoio no Grande Tribunal das Redes Sociais, detonou o então prefeito Marco Alba (MDB) por cumprir a lei e exigir dele, como a mortais sem capa, licença para vender pães nas ruas do Centro.

Para quem goza com demagogia, procurem em posts antigos a posição do super-herói da aldeia sobre os salários dos vereadores e sua prática agora.

Outra consequência inevitável é que o recuo de Fernando Deadpool representa outro Sogil Norte via Sul vindo na contramão em direção à imagem do parlamento municipal nas redes sociais. É uma pauta na qual qualquer um que conhece um pouco de política sabe: quanto mais mexe, mais cheira.

Faz entrar nos anais do anedotário da política da aldeia a sentença do vereador Alex Peixe (PTB) após a votação da ‘pauta-bomba da Sogil’:

– A Câmara sai fortalecida desta votação.

Em 25 de março, conclui em Guaraná? Mentolado? Não, Zaffa. Eleito pela oposição, vereador Deadpool conversa com governo de Gravataí; Venenos e o antídoto da verdade:

 

“…

Inegável é que em seu mandato de estreia Deadpool tem mostrado coragem ao defender o que acredita e não se esconder atrás da capa quando confrontado com polêmicas.

Mesmo que tenha explicado na live que a escolha pela personagem Marvel foi aleatória, Fernando parece incorporar o poder do super-herói Deadpool, que é “ser imune a venenos e qualquer outra substância nociva”. É que experimentará muitos, não só de hoje colegas de oposição, mas também no Grande Tribunal das Redes Sociais.

Reputo acerta Deadpool ao já usar de um bom antídoto, que é não mentir.

…”

 

Retiro.

Só que, como sou contra a pena de morte, seja física, metafísica ou política, não cancelo o vereado e não permito aos políticos apenas a presunção de culpa.

Todo mundo erra.

É nobre pedir desculpas.

Mas há diferentes formas para exercer a humildade. Não me associo ao simplismo de dizer que foi um “erro de R$ 5 milhões”, como leio por aí. Reputo, porém, Fernando Pacheco um menino muito inteligente e perspicaz. Sabia o que estava votando. Recuar só porque perdeu popularidade não ficou nada bem. Apresentar como solução “mandar a Sogil embora” é simplório, pueril.

Ao fim, resta o vereador de 24 anos, o mais jovem da Câmara, refém do que cativou, e cativa. Seu voto agora vale um grito – ou, principalmente na pandemia, um clique.

 

LEIA TAMBÉM

A LIVE É O SEGUINTE: | Fernando Deadpool tira a capa 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade