opinião

Sem partido, mas bolsonarista: delegado é candidato a prefeito de Cachoeirinha, ainda; tchau PSL

João Paulo Martins é delegado aposentado

João Paulo Martins é candidato a prefeito de Cachoeirinha, ainda. Uso o advérbio de tempo porque o delegado bolsonarista ainda não tem partido após a desfiliação do PSL, que anunciou em seu perfil no Facebook em textão que você lê clicando aqui.

Ouvi o prefeiturável, que segunda elogiei no Seguinte: pela coragem de se posicionar, mesmo às vésperas da eleição, sobre um tema polêmico em O bolsonarista que aprova o ’fundão’; demagogos, ao ataque!.

– Não vou desistir. É, como diz o título de meu post, uma correção de rumos. Acreditei que, pelo menos até o Aliança pelo Brasil estar registrado, apoiadores ficariam no PSL e ainda teríamos a confiança de quem votou no presidente Jair Bolsonaro. Isso não aconteceu. Perdemos muita gente – explica, quantificando em “1%” a chance de o novo partido estar legalizado no prazo eleitoral para poder apresentar candidatura em 2020.

Discreto e ‘moderado’, como já tratei em artigos como Moderado é candidato a prefeito do bolsonarismo em Cachoeirinha, Outsider candidato a prefeito pelo PSL já foi CC do prefeito Vicente; ’nova política’ é fake news e Razões para criticar o prefeiturável bolsonarista de Cachoeirinha, João Paulo não faz do presidente municipal Neri, e do irmão, presidente estadual, Nereu Crispim, ‘Joice Hasselmans’.

– Nada contra. De um conjunto de circunstâncias, o que pesou mesmo foi a saída do Bolsonaro – diz aquele que quer ser o ‘outsider’ da eleição na Cachoeirinha que deu 7 a cada 10 votos para o ‘mito’ em 2018, mesmo que a popularidade do bolsonarismo esteja ‘descollorindo’, como já tratei em artigos como Bolsonaro não fez nada para 120 mil no ’país’ Gravataí, Cachoeirinha e Glorinha e 25 mil bolsonaristas descontentes no ’país’ Gravataí, Cachoeirinha e Glorinha; O Retrato de Dorian Gray.

João Paulo confirma a proximidade com o vereador Marco Barbosa, como ele policial civil e, mesmo cunhado, hoje um dos principais articuladores do ‘sangramento’ do prefeito Miki Breier (PSB) com uma tentativa de golpeachment e duas amalucadas CPIs.

– Não temos nenhum compromisso firmado, mas é grande a probabilidade de seguirmos o mesmo caminho – diz.

O parlamentar, que está no PSB, e, em 2018, parecia acertado com o PSDB ao apoiar a eleição de Eduardo Leite, contrariando o partido que era aliado de primeira hora da reeleição do governador José Ivo Sartori, desde o ano passado era cotado para se filiar ao PSL na janela de março, que permite a troca de partido sem risco de perder o mandato. Agora, já era.

A vice-presidente do PSL e uma das lideranças mais ativas do partido em Cachoeirinha também renunciou para acompanhar João Paulo. Um dia antes, após ler as novas da política de ‘little falls’, Rosemary de Paula postou em seu perfil no Facebook, em linguajar similar ao ‘mito’:

– Saiu no Foicebook… Antônio Teixeira se desfilia ao PTB. Fernando Medeiros vai apoiar o Miki. Tô começando a achar que não seguram nem um peido.

Hoje, após a saída de João Paulo e Rose, fui procurar o post e não mais encontrei.

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade