opinião

Por que gelou ida do PSB para o governo Marco Alba

Paulo Silveira e Carlos Fonseca (ao fundo)

Calorão na rua, gelo na relação entre o governo Marco Alba (MDB) e o PSB de Gravataí, que negociava sair da oposição para apoiar o candidato a sucessão do prefeito, o que parecia próximo e tratei no artigo ’Segundou’ para PSB no governo Marco Alba; O Fantástico.

Pelo que apurei, o prefeito submeteu aos vereadores do partido e da base governista a idéia de abrir espaços para o PSB, cujos vereadores fazem oposição desde o primeiro governo, em 2013, e, ao fim de 2019, votaram contra o Orçamento 2020 e também contra o financiamento de R$ 20 milhões para revitalização da avenida Dorival de Oliveira, como tratei nos artigos Por que o PSB parece perdido em Gravataí; San Juan Y Mendoza, e Oposição contra R$ 20 milhões para revitalizar Dorival; é legítimo.

Só o vereador Alan Vieira (MDB) estaria simpático à idéia.

– O Paulo Silveira quer conversar sozinho. Queremos o Carlos Fonseca junto na conversa – resume, sob a condição de anonimato, uma fonte que participa das negociações, referindo-se ao presidente dos socialistas e ao outro vereador.

O terceiro parlamentar, Wagner ‘Tô de Olho no Buraco’ Padilha, vai para o PDT de Anabel Lorenzi, Rosane e Daniel Bordignon, na janela de março que permite a troca de partido sem risco de perder o mandato.

Ao fim, se a bancada não aprovar a negociação de cargos, uma alternativa para o prefeito atrair o PSB seria usar de sua ‘cota pessoal’. Se o ‘gerentão’ Luiz Zaffalon for mesmo para a Secretaria de Governança e Comunicação, como tratei domingo no artigo A mudança no governo que ’bomba’ a sucessão em Gravataí; a ginástica da fofoca, restaria para os socialistas a presidência da Fundação de Meio Ambiente.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade