crise do coronavírus

Por favor, sem Copa América, prefeitos de Gravataí e Cachoeirinha; A cepa, a copa e o Silvio Santos

Prefeitos Zaffa e Miki com Sebastião Melo na Prefeitura de Porto Alegre em janeiro de 2021 | Foto MATEUS RAUGUST | Prefeitura de Porto Alegre

Apelo, Luiz Zaffalon e Miki Breier, usem de suas influências, e do tamanho de Gravataí e Cachoeirinha junto à Granpal, a associação dos municípios da Grande Porto Alegre, para demover Sebastião Melo da ideia de sediar a Copa América na Capital gaúcha. É um dos Grandes Lances dos Piores Momentos trazer de todo mundo para região gente de diferentes cepas todo em troca de nada além de vírus.

Prefeitos, se não for pelo risco de piorar a tragédia sanitária da pandemia, que seja ao menos para assegurar um habeas corpus preventivo frente às suspeitas relações do governo Bolsonaro – que tem como ministro das Comunicações Fábio Faria, genro de Silvio Santos – com o SBT, detentor dos direitos de transmissão da competição.

Tudo começou quando, após a desistência de Argentina e Colômbia, e a confirmação da Conmebol de acerto com o governo brasileiro para o Brasil sediar a Copa América, Melo disse ao repórter Carlos Rollsing, de GZH, que estava entrando com campo “com toda a força e toda responsabilidade”.

– Porto Alegre é a capital do Mercosul, e nada melhor que seja aqui. Temos estrutura para isso e tradição – cometeu.

Que bola fora! Pior que o recente passado cloroquiner do prefeito da Capital, que queria bancar o curandeirismo do ‘kit covid’ com dinheiro público logo ao assumir o mandato. Assim parece um negacionista de máscara.

Eduardo Leite considerou “inoportuno e inconsequente diante do aumento do número de casos”, e também de mortes: média de 2 mil por dia no país, cem delas no Rio Grande do Sul. Só que o governador já entregou o pincel de colorir mapinha aos prefeitos com o sistema dos ‘3 As’ para monitorar a COVID-19, como detalhei em Gravataí e Cachoeirinha: como estão números da COVID na estreia do ’3 As’; UTIs seguem lotadas.

Pela ‘ideologia dos números’ Gravataí tem hoje 48 internados para uma capacidade de 38 leitos. Os números de infectados e mortes só crescem, como reportei pela última vez em Gravataí sob ’Aviso’ nos 3As da pandemia; Triplicam casos e crescem mortes nos últimos 5 dias.

Nove a cada 10 leitos de UTI estão ocupados no Rio Grande do Sul nesta segunda-feira. Em 24 horas, o número de internados com covid subiu de 1.772 para 1.787 e o aumento nos últimos sete dias foi, em média, de um ponto percentual ao dia.

Na região Porto Alegre, que inclui Gravataí e Cachoeirinha, a taxa acumulada de mortes por COVID-19 é de 306,5 por 100 mil habitantes, bem superior à média gaúcha de 247,5 por 100 mil.

Salvo engano, há uma pessoa feliz no Brasil: Silvio Santos. Depois Da Champions League e a Libertadores da América, o SBT adquiriu os direitos exclusivos dos jogos da Liga Europa e da Copa América para a TV aberta.

De setembro de 2020 a abril deste ano, a média da emissora foi de um evento comprado a cada 52 dias, sob a direção de Marketing e Negócios de Fred Muller, que trouxe a experiência de executivo da Globo entre 1999 a 2019, e o trabalho informal de Fábio Faria, ministro das Comunicações, genro de Silvio Santos.

Quando em 2020 começou o ‘Deu a louca no patrão!’, reportagem do UOL mostrou que o SBT se “recolocou” no mercado das grandes transmissões esportivas alavancado por verbas do Governo Bolsonaro.

Com dados das campanhas da Secom (Secretaria de Comunicação da Presidência), hoje vinculada ao Ministério das Comunicações, os jornalistas Thiago Braga e Ivana Negrão mostraram que, em 2017, a Globo recebeu da União R$ 23,31 milhões em publicidade federal e o SBT menos da metade do valor, R$ 11,92 milhões.

Em 2019, primeiro ano de Bolsonaro, apenas até o meio do ano, enquanto a Globo recebeu R$ 2,65 milhões, o SBT ficou com R$ 6,62 milhões. Em porcentagem, enquanto a Globo detinha 48,52% das verbas publicitárias em 2017, agora tem somente 16,38%. O SBT viu sua participação saltar de 24,8% em 2017, para 41,01%.

A mudança repentina de padrão na distribuição das verbas publicitárias chamou a atenção do Tribunal de Contas da União (TCU). Em auditoria, o órgão apontou falta de clareza nos critérios técnicos para a destinação desta grana.

O processo, cujo relator é o ministro Vital do Rêgo e não tem data para ser julgado, foi aberto a partir da representação do Ministério Público de Contas para analisar se os recursos estão sendo distribuídos com critérios políticos, favorecendo Record e SBT, já que declararam apoio ao atual governo, enquanto a Globo faz uma oposição declarada.

Ao fim, prefeitos, a preocupação agora é com a cepa, não com copa.

 

LEIA TAMBÉM

A onda é aglomerar: é momento para ir pra rua contra ou a favor de Bolsonaro? ’Esquerdistas’ de Gravataí divergem no Twitter

Merendeira de escola de Gravataí morre por COVID: governo e sindicato dos professores divergem por testagem em massa; Mal-vindos sejamos ao novo normal

O ’caminho da extinção’: Gravataí volta ter mais nascimentos que óbitos; O Nostradamus da pandemia e a profecia da terceira onda

A virulência da COVID em Gravataí: O mês que teve mais mortes que nascimentos

Aglomeração de ’Copacabana Palace’ em Gravataí; Pancadão da COVID depois derruba comércio em geral

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade