opinião

O MBL é uma piada; Brizola samba no túmulo

Uma das fotos com integrantes do MBL postadas no Facebook por Reni Tolentino, do PTB

Hoje não vou falar da delinquência intelectual de espalhar fake news, como as do artigo É ridícula ’denúncia’ do MBL de Cachoeirinha contra o prefeito; o vereador araponga. Mas, como jornalismo é dar nome às coisas, não vou passar gel na realidade.

O MBL de Cachoeirinha é uma piada!

Inegável é que coragem tem a galera, seja a das camisetas pretas justas, barbas bem aparadas e cabelos bem cortado, quando aquela da cor do Brasil. São mais ousados do que políticos locais que ainda estão atrás do muro, a despetalar a margarida para saber em qual lado se penduram da ferradura ideológica.

Integrantes do movimento ‘outsider’, cujos adeptos adoram falar em ‘nova política’ (outra meia verdade, aquela cuja metade fica próxima da mentir), estão fazendo tudo aquilo que condenam na ‘velha política’, ao procurar guarida para concorrer em partidos que não tem nada a ver com o ideário ‘liberal’.

Se Kim Kataguiri dedicasse um “top” a seus fãs em little falls, ou se preocupasse com CCs de ‘baixo clero’ ocupados por seus caroneiros, possivelmente diria aos chefes do 1% que representa:

– Deu PT.

Calma, é PT de “perda total”, da gíria, relaxem, sorvam uma cerveja artesanal ou beberiquem o combo com energético antes de metralhar o teclado e postar “petralha!” no Grande Tribunal das Redes Sociais.

A galera agora é só selfie postado no Insta com políticos da velha guarda, como Reni Tolentino, e a bandeira do Brasil parece ter sido trocada pela do PTB – e da ‘Situação B’.

Alguém, além dos próprios, que conheça um pouco da História (com H maiúsculo) do trabalhismo, ou da história (com h minúsculo) de nossa democracia em vertigem, tem como não rir?

Imagino que Kim suspiraria fleumático no terninho bem ajustado.

Já Brizola samba no túmulo!

Ao fim, talvez esperassem mais só eu e muitos dos 12 milhões de desempregados que não associam ao seu bolso fundo a desestabilização política e, consequentemente econômica, que teve como um dos artífices o MBL e o uso ‘global’ do ‘não é pelos 10 centavos’. Não passa de um partido entre o progresso e o retrocesso. A vereadora e professora Jack Ritter (PSB), convidada para fazer às 20h do dia 10 uma live no site do movimento, sabe disso – (emoji de lágrima).

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade