opinião

Estado: 118 não é ’fake news’; acesso ao Distrito Industrial é promessa

Acesso da RS-118 ao Distrito Industrial depende do DAER

A Secretaria de Logística e Transportes do Rio Grande do Sul envia nota sobre o artigo Duplicação completa da RS-118 é uma fake news, que publiquei nesta segunda-feira no Seguinte:.

Siga a íntegra e, ao fim, comento.

 

“(…)

Inicialmente, é preciso corrigir que o primeiro contrato de duplicação da ERS-118 – no trecho de 21,5 km entre a Freeway e a BR-116 – foi assinado no segundo semestre de 2006, e não em 1998, como destaca o texto.

Quanto aos recursos necessários para a conclusão do conjunto de obras nesse segmento, lembramos que os R$ 131 milhões – anunciados pelo governador Eduardo Leite em junho de 2019 – são oriundos de um financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), obtido mediante uma ampla negociação do Governo do Estado com a instituição financeira.

Reforçamos, ainda, que todas as obras referentes aos projetos que o atual governo estadual recebeu serão concluídas. Isso inclui a totalidade das ruas laterais projetadas e as alças de acesso à Avenida Dorival Cândido Luz de Oliveira, em Gravataí. Os acessos à ERS-020 também estão sendo equacionados.

Por fim, o Governo do Estado reafirma o seu compromisso na entrega dessa obra até dezembro de 2020, levando-se em consideração a sua importância para o desenvolvimento da Região Metropolitana de Porto Alegre.

(…)”

 

Analiso.

Está correta a data de início da obra informada pela Secretaria de Infraestrutura. Mas no artigo me refiro à placa anunciando a duplicação, instalada durante o governo Olívio Dutra.

Agora, o principal: ao receber o e-mail, perguntei sobre o principal gargalo da 118 em Gravataí, que é o acesso ao Distrito Industrial.

Há pouco veio a resposta:

– Esclarecemos que o acesso ao Distrito Industrial de Gravataí não consta no projeto dos 21,5 km que o atual governo recebeu e que está ainda em desenvolvimento. No entanto, essa obra está incluída no projeto que está sendo elaborado no momento pelo DAER e que equacionará todos os conflitos viários no local – incluindo, também, os acessos à Avenida Centenário, ao loteamento que está sendo construído próximo ao Atacadão e à Freeway.

Os dois ‘esclarecimentos’ do governo do Estado só confirmam meu temor, quando escrevi que “(…) o que é preciso evitar é que, após o corte da fita, prometido para dezembro, a 118 seja esquecida, já que estará ‘pronta’, enquanto faltam ligações tecnicamente viáveis com as cidades que a rodovia cruza. Por óbvio, não será o DAER e seu 'orçamento zero' a investir os mais de R$ 20 milhões necessários só em Gravataí (…)”.

A duplicação da RS-118 pode ser entregue em dezembro como está. Mas sem o acesso. O neto de alguém talvez testemunhe o DAER fazendo esse investimento milionário no trecho de Gravataí. Até lá, muita gente ainda vai morrer ou se arrebentar no trânsito.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade