opinião

É fake comparar Antônio Teixeira com prefeito de Colatina; dormir e não babar

Antônio Teixeira voltou à Rede, partido pelo qual fez 13 mil votos em 2016

Comparar Antônio Teixeira com o prefeito de Colatina é sacanagem. E, entendo eu, uma sacanagem com o político de Cachoeirinha.

Sérgio Meneguelli anda todo enrolado no governo da cidade do Espírito Santo, e não é mais que um demagogo caça-cliques de rede social, estrela logo ali cadente de um momento em que o mau humor do eleitor não permite aos políticos nada além da presunção de culpa.

Não vi o próprio candidato a prefeito usar diretamente dessa estratégia fake, apesar de flertar com lugares comuns como “cortar CCs” (que não correpondem a zero após a vírgula no Orçamento municipal) no discurso de filiação à Rede na última quinta, após uma passagem relâmpago pelo PTB da 'Situação X', como tratei em Antônio Teixeira a prefeito de Cachoeirinha pela oposição A, B ou C; tchau PTB.

Segundo colocado nas eleições de 2016, e, provavelmente, ainda com patrimônio político, se Antônio optar por 'representar' um ‘Prefeito de Colatina genérico', possivelmente vai desagradar os que acreditam nele e, arrisco, desapontar os que acham que o estilo do potiguar é solução para alguma coisa. 

Como já tratei em Não basta um ’prefeito de Colatina’ para Gravataí e Cachoeirinha, precisamos de projetos que promovam um debate verdadeiro na eleição. Seja qual lado o candidato ocupar da ferradura ideológica – canhoto, destro ou isentão – que apresente alternativas sob a ‘ideologia dos números’ e a realidade nada boa das contas de Cachoeirinha.

Espírito Santo é nome de estado, não encarnação de político.

Parafraseando uma millôriana, “o idiota é apolítico. Ou conservador. Ou alienado. Ou radical. Em política, como em tudo o mais, você não escapa do idiota. Em Cachoeirinha, a moda preferida do idiota é o live no Facebook. Como também é a moda preferida dos não-idiotas não procure identificar o idiota pelo live. Muitos dos perfis de idiota estão numa coisa chamada Grande Tribunal das Redes Sociais. Na psicanálise, entre o idiota que está no sofá e o que tem o diploma, não há como distinguir. Quando um idiota morre vai pro céu”.

Ao fim, não sejamos o ‘idiota’ da política 2020, aquele com uma inesquecível capacidade de esquecer. Dormir pode, babar já é demais.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade