política

Cláudio Ávila é o ’vereador do Lula’ na Câmara de Gravataí; O ’livro das misses’

Cláudio Ávila é vereador em primeiro mandato

Cláudio Ávila é hoje o ‘vereador do Lula’ na Câmara de Gravataí. Fatos, aqueles chatos que atrapalham argumentos: entre os 21 parlamentares da legislatura 2021 foi o único a discursar e anunciar seu voto em favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, além de criticar Jair Bolsonaro & sua motoca passeando por meio milhão de vidas perdidas.

O fez na sessão seguinte à motociata – e trecho do vídeo você acessa clicando aqui – em resposta a uma fala ‘napoleão de hospício’ do vereador Evandro Coruja (PP).

O policial federal – que na política parece ter uma percepção seletiva para a corrupção (que não pode ter em sua atividade profissional) quando se trata de seu partido, o mais envolvido em escândalos, e os malfeitos do deprimente da república e seus tipos suspeitos – sustentou que assaltantes, assassinos e estupradores votariam no Lula, contrariando o que já é um senso comum quando se conhece a vida de psicopatas como o Dr. Jairinho, e já se sabe a resposta para o “Em quem votou?”.

Mas não deixa de ser dos Grandes Lances dos Piores Momentos Ávila ser a voz de Lula no legislativo da aldeia. Não por falta de qualidade, porque é inteligentíssimo, inegavelmente o melhor tribuno do legislativo e, ex-menino da Abemgra e hoje bem sucedido advogado, conhece das coisas da vida e da política para fazer a defesa brilhante em seu discurso sobre as realizações dos governos lulistas para os mais pobres.

Acontece que foi Ávila, mesmo que ainda jovem e cabeludinho tenha aberto dissidência no PPS de Antônio Britto em favor de Tarso Genro em 2002, o autor do golpeachment que cassou a prefeita Rita Sanco (PT) e o vice Cristiano Kingeski (PT) em 2011.

Inegável também é que foi uma das influências para a ida para o PDT de Daniel Bordignon, o ‘Lula de Gravataí’, fazendo com que o PT da aldeia não tivesse mais vereadores eleitos e perdesse até para o PSOL nas urnas.

E, a Internet 2.0 não perdoa, nas eleições de 2018, se não votou em Bolsonaro, fez posts criticando a corrupção petista, com a bandeirinha do Brasil e o slogan “Deus Acima de Todos, Brasil Acima de Tudo”, e que atingiram inclusive pessoas próximas a ele no passado, presente e, talvez, futuro.

Líder da bancada do PSD na Câmara, Ávila assume sua posição pró-Lula como pessoal.

Dimas Costa, seu presidente municipal, vice-estadual, ex-vereador (pelo PT no primeiro mandato) e candidato a prefeito de 35 mil votos em 2020, confirma ao Seguinte: que apoiará um candidato do PSD à Presidência da República.

Ao fim, sem Marx nessa hora. Está lá, em O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry: “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”. Mas está lá também: “Quando a gente anda sempre em frente, não pode ir muito longe…”. Certo ou errado, goste-se ou não, Ávila apresenta uma mudança de rumo  "em defesa do povo pobre" e tenta cativar o lulismo e, menos, o PT – que deve ser o caminho de Bordignon, seu parceiro de chapa na eleição ganha e anulada em 2016, e de quem se reaproximou.

Resta aguardar se experimentam os ‘companheiros’ outra do ‘livro das misses’: “É loucura odiar todas as rosas porque uma te espetou”.

 

LEIA TAMBÉM

O Bordignon voltou

Bordignon fala: PT, Lula, Dimas, Ávila e a ’incompatível história’ com Marco Alba e Bolsonaro

Ouroborus Gravataí: Cláudio Ávila, Bordignon e o que Lula tem a ver com isso

O que o ’Presidente Lula’ tem a ver com o pedido de demissão da Bordignon

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade