política

Câmara de Gravataí não é palanque: vereador retira título de cidadão para candidato de estimação; Dois ainda avaliam

Dois vereadores avaliam e um retirou proposta de título de cidadão gravataiense para políticos às vésperas do ano eleitoral. É a maior honraria da Câmara de Gravataí.

Alertei para o que reputo dos Grandes Lances dos Piores Momentos em A Câmara de Gravataí não é palanque: vereador, retire título de cidadão para seu candidato de estimação!.

Começou com Clebes Mendes (MDB), em outubro, a um ano da eleição de 2022, propondo o título ao secretário estadual de Logística e Transportes Juvir Costella (MDB).

– O homenageado não tem culpa. Mas a Câmara da quarta economia do RS não pode servir de palanque eleitoral e/ou para revanchismos políticos – escrevi.

A justificativa no decreto legislativo 18 é a gestão do colega de partido, deputado que tem seu apoio à reeleição e, como ele, é hoje desafeto do casal Marco e Patrícia Alba, na duplicação da ERS-118 e a promessa de construção de uma elevada no ‘Km da morte’ e do engarrafamento, no acesso da Centenário ao Distrito Industrial.

A ideia de Clebes inspirou Cláudio Ávila (PSD) e Thiago De Leon (PDT). Ávila homenageou Danrlei de Deus, deputado federal que preside seu partido no RS e hoje comanda a Secretaria de Esportes do governo Leite.

Na justificativa do projeto de decreto legislativo 31 o vereador apontou a destinação, por Danrlei, de emenda parlamentar de R$ 1,4 milhão para a construção da nova Emergência SUS do Hospital Dom João Becker/Santa Casa.

Já De Leon propôs a honraria a Afonso Motta (PDT), seu deputado federal. Na justificativa do decreto legislativo 29 o vereador apresenta apenas o currículo do político.

No artigo anterior já tinha alertado sobre o que aconteceria. Escrevi: “Se for aprovado o título de cidadão para Costella, outros vereadores também se sentirão no direito de apresentar homenagens a seus candidatos em 22. Márcia Becker (MDB), por exemplo, poderia homenagear Patrícia Alba (MDB) por ser a primeira mulher deputada de Gravataí. Anna Beatriz da Silva (PSD) poderia homenagear o companheiro, Dimas. Ambas menções seriam até mais justas, por serem políticos com história na aldeia. Mas arriscaríamos ter até um Bibo Nunes cidadão de Gravataí”.

Nesta manhã, quando escrevia este artigo, soube da retirada de um dos títulos e contatei os três vereadores.

– Retirei – confirmou Ávila.

– Vou avaliar hoje e informo se manterei – disse De Leon.

– Ainda estou analisando – disse Clebes.

Ao fim, nunca fui triste.

Pelo menos um vereador já retirou e os outros dois me pareceram a caminho de evitar o constrangimento de seus políticos serem alvos de crítica e, num pior cenário, experimentarem uma reprovação de seus nomes pela Câmara de Gravataí.

Reafirmo: Costella, Motta e Danrlei não tem culpa. Suas biografias não são reprováveis. E há tipos suspeitos com título de cidadão de Gravataí. O que reputo inaceitável é institucionalizar a Câmara de Gravataí, quarta economia gaúcha, como um palanque para candidatos de estimação.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade