política

Até banheiro de praça é polêmica em Gravataí; ’Parcão do Papa’ não!

O prefeito Marco Alba entrega às 19h desta sexta os banheiros e a revitalização do Parcão da 79. Só elogios por uma obra reivindicada por gerações de frequentadores desde a inauguração do parque no final dos anos 90? Não. Passou a eleição, mas a polêmica segue eleita em Gravataí.

No Grande Tribunal das Redes Sociais a sentença do dia é que o custo de R$ 235 mil é muito alto para os banheiros. Surgiu até comparativo, feito pelo vereador Dimas Costa, com sanitários construídos pela metade do preço na praça principal de Santiago, município da região central do Rio Grande do Sul.

Leitores pediram artigo e fui ouvir o secretário de Serviços Urbanos, Paulo Garcia, sobre o investimento de quase meio milhão no complexo de banheiros, academia ao ar livre, calçamento em volta do lago e iluminação de led que, projeta-se, a partir de 2021 ganhe também uma concha acústica no governo Luiz Zaffalon.

– São banheiros masculinos, com quatro sanitários, femininos com três, fraldário, área coberta com telhas ecológicas, água quente para chimarrão e toda uma arquitetura vazada em ferro que valoriza o paisagismo. A comunidade vai adorar o espaço de convivência – explica.

– O preço quem deu foi a engenharia, tecnicamente. É injusta a comparação com uma obra diferente em outro município.

Em setembro, quando a polêmica nasceu, condenei o corte de árvore símbolo do local, mas tratei como hipocrisia algumas críticas descompensadas sobre o custo da obra licitada em agosto e, nas redes sociais, apresentada quase como se fosse aquele filme “O banheiro do Papa”.

Reputo que gente do povo, que acharia caro fosse divulgado um custo de R$ 3 mil, R$ 30 mil, R$ 300 mil ou R$ 3 milhões, até pode estar desinformada sobre a obra. Já outros muito bem informados sempre souberam que não se trata apenas de uma latrina.

Conclui assim o artigo A lacração sobre o eucalipto e o custo do ’banheiro do Parcão’ de Gravataí; o cão e o motoqueiro:

“Todo e qualquer tema de uma cidade deve ser publicizado e debatido. Entendo, porém, que a lacração, o exagero da grita em algumas pautas transforma a oposição naquele cão que ladra atrás do motoqueiro. Quando a moto para o latido para.

A oposição pautar o governo traria mais ganhos para Gravataí, do que ser pautada por ele. Ainda mais em obras que tem algo, ou muito de bom. Do jeito que está, entre elogios e críticas desequilibradas, Marco Alba é tornado cada vez mais popular”.

Ao fim, leitores: como não sou arquiteto, engenheiro, auditor do Tribunal de Contas, delegado de polícia, promotor ou juiz, sigo com a mesma análise política sobre a polêmica. O que não impede que aqueles que identificam sobrepreço procurem o Ministério Público, que fica do outro lado da rua. No teclado do celular resta apenas lacração.

Inegável é que os frequentadores vão curtir mais o lugar.

Logo mais compartilho a transmissão da inauguração nas redes sociais do Seguinte:.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade