saúde

Prefeitura de Gravataí fornece medicamento de prevenção contra infecção pelo HIV

Antirretrovirais estão disponíveis no SAE e na UPA Abílio Alves dos Santos, da 74

A Prefeitura de Gravataí, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), fornece a Profilaxia Pós-Exposição (PEP) ao HIV, uma das estratégias que compõem a Prevenção Combinada, uma medida de prevenção da infecção pelo vírus que consiste no uso de medicamentos antirretrovirais para reduzir o risco de exposição ao HIV, vírus que causa a Aids.

Disponíveis no Serviço de Assistência Especializada (SAE) e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Abílio Alves dos Santos (da 74), os comprimidos são utilizados durante 28 dias para garantir a eficácia do medicamento. 

– Primeiro, nós fazemos o teste rápido para HIV. Em caso de resultado negativo, nós oferecemos a PEP, que é indicada para quem pode ter sido exposto ao vírus. O ideal é que ela seja tomada em até 72 horas após a exposição – destacou a enfermeira do SAE Rosi Morais Fochi.

Segundo a enfermeira, é necessário que, mesmo sabendo que existem outras estratégias de prevenção, o preservativo sempre faça parte das escolhas, pensando para além do HIV.

De acordo com Rosi, a PEP é considerada uma urgência médica e deve ser iniciada o mais rápido possível, preferencialmente nas duas primeiras horas após a exposição, que pode ocorrer de duas maneiras: biológica ou sexual. Nesta, ocorre por relação sexual desprotegida, sem o uso de camisinha ou com o rompimento da proteção. Na outra, acontece por meio de acidentes de trabalho com instrumentos perfurocortantes, como agulhas, lâminas, pinças, seringas e vidros contaminados, ou no contato direto com material biológico. 

Há mais de 10 anos na rede de saúde do município, o medicamento não oferece nenhuma alteração nos exames laboratoriais, nem malefícios à saúde. A enfermeira lembrou, ainda, que a PEP não protege contra outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), como sífilis e hepatites B e C.

Outro ponto de atenção é o alto número de casos de HIV registrados no Rio Grande do Sul, estado com a maior prevalência de casos no Brasil. Conforme boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, em dezembro de 2021, a taxa de mortalidade por Aids no Estado é de 7,2 óbitos por 100 mil habitantes, superior à média nacional, que é de 4 óbitos a cada 100 mil habitantes. Além disso, são 21,8 casos da doença por 100 mil habitantes, média, também, acima daquela registrada no país, de 14,1 casos por 100 mil habitantes.

Na sexta-feira, 27, a SMS apresentou um programa estratégico de aconselhamento e planejamento sexual e reprodutivo. O objetivo do projeto é garantir e ampliar a oferta de métodos contraceptivos com a finalidade de qualificar a disponibilização dos medicamentos no âmbito municipal.

Conforme a apresentação, as ações de ampliação de métodos contraceptivos irão permitir o acesso a mais pessoas, especialmente, aquelas em vulnerabilidade social.

 

ONDE ACESSAR A PEP

: SAE – Rua Ernesto Fonseca, 35 – Centro, com fornecimento de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h

: UPA Abílio – Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 2345, com fornecimento diário, das 17h às 8h. Além disso, também fornece aos sábados, domingos e feriados durante o dia inteiro.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade