política

O ’vereador infiel’ para o PDT de Gravataí foi mais o fiel; Brizola e a cauda do dia do ouroboros

Dilamar com Josué, de chapéu

No ouroboros do PDT de Gravataí, Dilamar Soares é, ao menos hoje, o último a abocanhar alguma cauda. O vereador nomeou Josué Bitelo, primeiro suplente do partido, como seu chefe de gabinete na Câmara.

Dila, para quem não sabe, é ameaçado de expulsão por suposta infidelidade partidária desde que votou a favor da reforma da previdência do prefeito amigo, Luiz Zaffalon (MDB). Fosse cassado, Josué assumiria.

O líder comunitário da Costa do Ipiranga ficou como segundo suplente na eleição, com 656 votos, mas hoje é o primeiro porque a digital influencer Daiana Luz, que fez 810, foi para o União Brasil e é apresentada como candidata a deputada federal.

Fato é que, ao empregar Josué, o vereador faz um gesto que nenhum partidário fez. É, hoje, o único suplente chamado para um CC para cargo de indicação política.

Os outros vereadores, Bino Lunardi e Thiago De Leon (que é presidente do partido), não tem em seus gabinetes pedetistas que enfrentaram as urnas em 2020 – e, na proporcionalidade dos votos, ajudaram a elegê-los.

É Josué, também, e aí resta habilidade política do vereador (já um veterano em terceiro mandato), o único que poderia assumir no caso de uma improvável expulsão de Dila, já que outros suplentes não fizeram os 10% do coeficiente eleitoral exigidos por lei, e no PDT ficou apenas a bióloga Daniela Diedrich.

Outros suplentes, Evandro Raupp e Nando Trindade, são, hoje, vice-presidente e secretário-geral do Podemos, ex-partido daquele que adversários chamam ‘juiz ladrão’.

Mas há outro aspecto na parceria de Dila e Josué que vai além da articulação política, ou do ‘patrão e empregado’ na Câmara. Josué fez uma campanha de apenas 15 dias, só abanando de dentro do carro, com dificuldades de fala e locomoção, após ganhar alta de infecção severa pela covid-19, que o derrubou logo após a perda da mãe.

Poucos lhe estenderam a mão.

Isso conta, ao menos moralmente, na fidelidade do ex-petista a ele.

 

LEIA TAMBÉM

TRE 6 a 0: Vereadores de Gravataí não podem se desfiliar sem perder mandato; A ameaça da expulsão

 

Ao fim, do jeito certo, ou errado, Dila ganhou um ‘habeas corpus político’ porque faz o que o partido não fez pelos seus, empregando o primeiro suplente e último presidente eleito pelo voto.

O ‘infiel’ foi fiel ao partidário desempregado melhor colocado na eleição.

Lembrou-me um causo sobre Brizola. Diz que, depois de, num comício, defender com a competência que ninguém discute seus inatacáveis pontos de vista socialistas, perguntou a um companheiro mais simples o que tinha achado do discurso.

– Olha – respondeu o companheiro – apesar de tudo que o senhor disse, que foi impressionante!, eu ainda prefiro o socialismo.

 

LEIA TAMBÉM

De Leon assume presidência do PDT de Gravataí; Quem o odeia

Crise no PDT de Gravataí: ’Golpistas’, diz vereador Dilamar após De Leon assumir presidência

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade