Imbróglio superado

CANOAS | ’Vizinhos do shopping’ já podem construir: MP e prefeitura assinam TAC e acordo ambiental

Secretário do Meio Ambiente, Paulo Ritter, com a promotora Roberta Teixeira e o prefeito em exercício, Nedy de Vargas Marques: prefeitura e MP assinaram acordo para liberar empreendimentos próximos do ParkShopping que esbarravam em quesitos ambientais. Foto: Div

Principais beneficiários da medida são a Havan, de Luciano Hang, a Cassol e o Fort Atacadista – todos com projetos já aprovados na prefeitura. Tem, ainda, empreendimento residencial para sair por ali

Chegou ao fim o imbróglio que envolveu a área de 98 hectares à margem da Avenida Farroupilha, no bairro Marechal Rondon e ao lado do ParkShopping, e uma série de investimentos há pelo menos dois anos. Prefeitura e Ministério Público assinaram um TAC, Termo de Ajustamento de Conduta, que encerra toda a discussão sobre a impossibilidade de construir ali. O impasse ambiental foi resolvido com medidas compensatórias e, quem tiver projeto pronto, pode retomar ou iniciar a obra imeditamente.

É o caso da Havan que, no entanto, ainda não confirmou se manterá o investimento em Canoas a plenos pulmões, como havia alerdeado em 2021.

De acordo com a prefeitura, o documento assinado exige como contrapartida a construção de um novo parque com a preservação dos bens ambientais e com, no mínimo, 6 hectares de área; a preservação de todos os bens ambientais do terreno dos empreendimentos; a antecipação da abertura do sistema viário da Rua Noruega até a Avenida Boqueirão, que proporcionará uma nova rota no entorno dos empreendimentos; e a implantação de corredores verdes na região.

São esperados ali investimentos na casa do bilhão: Havan, Cassol Centerlar, Melnick Even e Fort Atacadista já apresentaram projetos à prefeitura. A expectativa é de que possam gerara até 43 mil novos empregos.

A secretária do Escritório de Projetos, Joceane Gasparetto, avalia que o TAC é um importante avanço para Canoas. “Foram décadas de discussão neste licenciamento. Lá foram realizados mais de 19 estudos técnicos ambientais na área. Isso deu segurança técnica à Prefeitura, para a promoção do licenciamento. Além disso, com a assinatura deste Termo de Ajustamento de Conduta, vamos garantir que haja a proteção ambiental e o desenvolvimento econômico da região. A contrapartida da construção do parque, principalmente, será importante para a qualificação das áreas verdes, como aconteceu no Capão do Corvo, que foi ampliado e passou a oferecer muito mais infraestrutura para os canoenses”, lembrou.

“Este acordo é muito bem-vindo, porque a instalação de novos empreendimentos gera mais empregos, renda e um incremento na arrecadação direta e indireta, o que significa mais desenvolvimento para a região e para o município como um todo, sem deixar de lado o nosso compromisso com o meio ambiente”, disse o prefeito em exercício, Nedy de Vargas Marques, que participou da audiência de assinatura do TAC.

 

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade