Eleições 2022

CANOAS | PSD estadual já não conta com Martini na nominada para Assembleia: ex-secretário está distante da política desde afastamento de JJ

Martini em reunião com o PSD: até março, canoense estava cotado para concorrer a suplente do Senado ou a deputado estadual. Foto: Arquivo Seguinte:

Fonte ouvida pelo blog avalia que Felipe Martini ainda mantém esperança de concorrer a suplente na chapa de Ana Amélia Lemos

A candidatura de Felipe Martini a deputado estadual em 2022 subiu no telhado, segundo uma fonte próxima à direção estadual do PSD ouvida pelo blog. Distante da política desde o afastamento pela Justiça de Jairo Jorge, Martini ainda não anunciou oficialmente a desistência porque, desse modo, preservaria a chance de disputar a vaga de suplente da candidatura de Ana Amélia Lemos ao Senado.

Lembrando: o acordo político que colocaria Martini na disputa por uma cadeira na Assembleia nasceu ainda em 2020, durante os preparativos para o pleito em que JJ foi eleito. Ainda no PSDB, Martini abriu mão da candidatura para apoiar o futuro eleito. Se especulava, na época, que poderia ser o candidato a vice – mas esse posto já havia sido prometido a Nedy de Vargas Marques, então filiado ao Solidariedade. A Martini restou o compromisso de JJ de que seria o primeiro nome no secretariado e que teria seu apoio para chegar a Assembleia via eleição de 2022.

O primeiro abalo no plano aconteceu ainda em 2021, com a base de apoio ao governo se dividindo em diversas candidaturas – especialmente a de Márcio Freitas, antes no PDT e agora no Avante. Jairo queria todos apoiando um só nome ligado ao governo, mas a unidade não avançou. No final do ano, com a especulação confirmada mais tarde de que Ana Amélia Lemos queria concorrer ao Senado pelo PSD, a participação de Martini na eleição ganhou nova perspectiva: ele seria o nome de JJ na suplência na ex-senadora.

O terremoto de 31 de março fez todos os planos ruírem com os 9 pontos da escala Ritcher que foi o afastamento de JJ da Prefeitura e dois de seus secretários. Martini se desincompatibilizou, assumiu a presidência municipal do PSD nos primeiros dias de abril e, de lá para cá, só é visto em tarefas pessoais. A distância que tomou da política foi a deixa que deu ao partido estadual de que irá as urnas em 2022 apenas como eleitor, não como candidato.

O blog tentou contato com Martini para repercutir com ele a informação, mas não obteve retorno até o fechamento deste post.

Em breve, novas.
 

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade