Operação Copa Livre

CANOAS | MP pede que Estado assuma intervenção no SAMU e Pronto Socorro

Subprocurador Júlio César e secretária Arita Bergmann conversaram nesta quinta-feira pela manhã. Foto: Tiago Coutinho/MPRS

Representantes do Ministério Público conversaram com Secretaria de Saúde do Estado pela manhã e ajuizaram ação civil pública pedindo a intervenção

Enquanto a Operação Copa Livre ainda se desenrolava na manhã desta quarta-feira, 31, por Canoas, Porto Alegre e outras oito cidades em  São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, o subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Institucionais, Júlio César de Melo, se reuniu com a secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann, e informou sobre ação em que pede à Justiça que o Estado assuma a intervenção nos serviços do Hospital de Pronto Socorro de Canoas, além do Serviço de Atendimento Médico de Emergência, o SAMU.

 

LEIA TAMBÉM

CANOAS | Operação do MP afasta JJ e dois secretários

 

Os dois serviços são parte da investigação comandada pelo órgão e que levou ao afastamento do prefeito Jairo Jorge, do secretário do Planejamento, Fábio Cannas, e do secretário de Saúde, Maicon Lemos – além de três assessores do governo. O objetivo do pedido de intervenção, segundo o MP, é evitar que haja qualquer descontinuidade nos serviços uma vez que as empresas contratadas para gerir tanto o hospital como o SAMU estão impedidas de contratar com o serviço público. "O Ministério Público quer evitar que o cidadão, além de sofrer com as consequências da ação criminosa, seja penalizado também com a falta de atendimento nesta área que é primordial. Por isso, a articulação entre as instituições é fundamental”, salienta Júlio Melo.

 

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade