Tradição em novos moldes

CANOAS | EM VÍDEO | O que faz a Semana Farroupilha de Canoas única no Estado: troque o chiripá pela máscara e confira

Tchê Barbaridade foi uma das atrações presenciais da Semana Farroupilha de Canoas. Foto: Alisson Moura/ECom PMC

Série de eventos seguem até segunda-feira com shows e piquetes – só não tem acampamento no Parque do Gaúcho

Com uma estrutura de grande evento, a Semana Farroupilha de Canoas vem marcando o seu pioneirismo em tempos de pandemia: é a única de todo o Estado com eventos presenciais e online. Diferente de anos anteriores, só não foi permitido o acampamento no Parque do Gaúcho; o uso dos piquete, no entanto, está liberado para as entidades tradicionalistas – desde que respeitados os limites de ocupação, uso de máscara e higiene correta das mãos.

O calendário completo dos shows você confere clicando aqui.

Nesta quarta-feira, o blog acompanhou o secretário de Cultura de Canoas, Pinheiro Neto, em uma visita ao parque. Confira o vídeo:

 

 

Até terça-feira, para para participar dos shows era preciso de inscrever no site da Prefeitura com antecedência, fazer teste para Cvoid-19 ao chegar ao local e permanecer em um camarote designado para até seis pessoas. Em razão da chuva, mesmo com as inscrições completas, houve baixo comparecimento. Então, o governo optou por liberar o acesso para os camarotes disponíveis meia hora antes das apresentações – mas ainda é preciso teste, higiene e uso de máscara.

 

LEIA TAMBÉM

CANOAS | Setembro é decisivo para segurar a variante Delta: vacina no braço é vida, não bandeira política

CANOAS | Vereadores da região planejam abraço ao Pronto Socorro por grana ameaçada na Saúde

 

"Algumas pessoas não tinham um grupo de seis para vir e acabavam não se inscrevendo. Na hora, sempre surge alguém que quer vir. Então, mudamos a lógica", contou o secretário Pinheiro Neto. "As inscrições continuam, mas também é possível vir direto ao parque e, havendo camarotes disponíveis, assistir aos shows sem problemas".

Ele resslata a importância do evento para retomada do setor cultural em todo o Estado. "Nossa Semama Farroupilha serve de modelo para outras atividades. Aqui, nós mostramos que é possível fazer um grande evento com todos os cuidados necessários", comenta. "A pandemia está aí, precisamos conviver com ela e, aos poucos, com cuidado, retomar a normalidade possível".

Em tempos de pandemia, dá para entrar no parque sem bombacha e até de tênis – só não pode ir sem máscara.

Confira mais um trecho em vídeo da entrevista com o secretário Pinheiro Neto:

 

 

Após o encerramento da Semana Farroupilha, as estruturas provisórias serão desmontadas – mas o Parque do Gaúcho seguirá aberto para uso da comunidade. "E dentro do possível faremos aqui novos eventos. É um espaço da cidade", adianta o secretário.

 

Atividades com estudantes

Além dos shows no Parque do Gaúcho, uma parceria das entidades tradiconalistas com as secretarias de Cultura e Educação está levando conhecimento tradicionalista a diversos espaços da cidade. Crianças estão tendo contato com o chimarrão, com a indumentária e as tradições gaúchas em lugares como o Hangar Cultura, por exemplo, que fica no bairro Guajuviras – literalmente, do outro lado de Canoas.

Na terça, 14, os alunos do 1° ao 5° ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Arthur Pereira de Vargas participaram de uma atividade cultural com a temática sobre as tradições gaúchas. A oficina foi proporcionada pelo CTG Mata Nativa, e ocorreu na própria sede do grupo, localizada a poucos metros da escola. "Esse é um legado importante desta Semana Farroupilha: levar a cultura gaúcha para diversos pontos da cidade também é uma forma de preservar o evento e evitar aglomerações", finaliza o secretário.

 

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade