Perfil

CANOAS | Anderson Dornelles: ’o Avante nasce no RS em Canoas’; o homem que sai detrás das cortinas

Anderson Dorneles é o presidente do Avante no RS e amigo de JJ desde os tempos de Brasília. Vai às urnas pela primeira vez em 2022. Foto: RB/Seguinte

De um estágio na Assembleia à presidência a República, o cara que estendeu a mão para JJ em 2018 e 2020 vai às urnas pela primeira vez com os pés fincados no Centrão: nem Lula, nem Bolsonaro, Anderson Dorneles é Janones
 

Quem vê o discreto mas sempre sorridente Anderson Dorneles lá e cá nas ações do governo Jairo Jorge pela cidade  – mais assíduo até do que alguns secretários – ou o acompanhando em Brasília costuma se perguntar o que o prefeito viu no presidente estadual do Avante que não viu em outros parceiros políticos. Poucos sabem, no entanto, que Jairo e Anderson se conhecem de longa data. O diálogo dos dois impulsionou a campanha em 2020, tem aberto portas para Canoas na capital federal e consolida um partido dos 'neo-novos' do centro da política brasileira nas terras da aldeia.

Anderson Dorneles pode ser definido como um 'cara dos bastidores' – da política e da República. Aos 42 anos, coleciona a bagagem de poucos – embora não tenha sequer uma eleição no currículo. Ano que vem, no entanto, está disposto a por o nome nas urnas como candidato a deputado federal. E aposta na relação com JJ e no partido que surge no RS a partir de Canoas para o ambicioso plano de formar a primeira bancada do Avante no Rio Grande do Sul.

Nascido em Porto Alegre, hoje leva a vida entre Brasília e Canoas – onde também moram duas de suas irmãs. É formado em Administração, filho de um zelador e uma empregada doméstica. A política cruzou sua vida pela primeira vez ainda aos 14 anos, ainda nos anos 90, quando teve a chance de fazer um estágio na Assembleia Legislativa. De lá, acabou indo para a Fundação de Economia e Estatística, a FEE, onde conheceria uma também discreta economista a qual acompanharia durante muitos anos: Dilma Rousseff.

"Na época, ela era secretária de Minas e Energia do Governo do Estado", lembra Anderson. Era uma época pré-PT para Dilma. Filiada ao PDT do ex-marido Carlos Araújo, era uma brizolista convicta. Dorneles conheceria o líder Leonel e seguiria Dilma até a presidência da República. Com ela, conheceu 89 países, dois papas, participou do funeral de Nelson Mandella ao lado de Barack Obama e Raul Castro – presenciou, inclusive, o histórico cumprimento entre o presidente americano e o líder comunista irmão de Fidel. Com o Papa Francisco, aliás, fez mais. Depois de conversarem por alguns minutos a sós em uma recepção no Rio de Janeiro, foi chamado pelo próprio Bergólio no Vaticano por algo que os une além da religião: o futebol. "O Papa lembrou que sou colorado", conta.

 

 

: Papa Francisco cumprimena Anderson no Vaticano: santidade lembrou que o assessor brasileiro era colorado

 

Com a cassação de Dilma em 2016, Anderson deixou o PT – mas não Brasília. Assinou ficha do PTdoB, à época, e ajudou o partido a alavancar um votação história em Minas Gerais. Acabou na direção da sigla e espalhou pelos país a ideia de fazer política pelo centro da ferradura ideológica. A aposta óbvia era ampliar a bancada federal e brigar entre os ascendentes – um dia, quem sabe, entre os grandes. E, assim, quando o PTdoB se converteu em Avante, Anderson Dorneles já era um dos nomes fortes do partido. Com a missão de catapultar a sigla no Sul em 2018, recorreu a um velho conhecido de Brasília para uma parceria que está de pé até hoje: Jairo Jorge.

Dorneles e JJ se conheceram quando Dilma era ministra de Minas e Energia de Lula e o atual prefeito, assessor do ministro da Educação, Tarso Genro. Quando Jairo confirmou sua candidatura ao governo do Estado pelo PDT, Anderson foi um dos defensores do apoio do partido a ele, em 2018. O plano de chegar ao Piratini não deu certo, mas a amizade entre os dois rendeu o apoio à campanha de 2020, quando Jairo – já do PSD – venceu Luiz Carlos Busato nas urnas. "Nosso partido sempre acreditou nessa parceria com o Jairo", resume Anderson. No segundo turno, o Avante garantiu mais recursos que o próprio PSD – que permitiu levar a campanha até o final.

Já no governo, o Avante recebeu espaços importantes em diversas secretarias. E o mineiro Rodrigo de Assis se encarregou do Planejamento e Gestão. Em junho, após um distanciamento do Solidariedade, o vice-prefeito Nedy de Vargas Marques se filiou ao Avante com uma meta ousada: transformar o partido na segunda força política da cidade. E hoje, 20 de dezembro, inauguram a sede do partido onde havia sido o comitê de Jairo Jorge em 2020 com esse propósito.

Sem polarização, mas com caminho bem definido

Embora a trajetória política de Anderson tenha sido construída ao lado de Dilma Rousseff, ele é hoje um autêntico representante do Centrão. Prefere o diálogo à marcação de posição e dos tempos de PT traz o exemplo de organização – não a ideologia. Defendeu que o Avante tivesse candidatura própria à presidência da República no ano que vem e viu sua tese ganhar um postulante: André Janones, advogado e deputado federal, é o nome do partido na disputa. Na pesquisa divulgada pelo Ipec agora em dezembro, ex-Ibope, Janones aparece com 2% ao lado de João Dória, o vencedor das prévias tucanas. O próprio Janones se considera a 'zebra da história', mas vai às urnas como um outsider construído pelas redes sociais: suas lives atingem 40 milhões de pessoas Brasil afora. E virá a Canoas, em janeiro – provavelmente o primeiro presidenciável a por os pés na cidade para disputa de 2022.

 

 

: André Janones foi escolhido pré-candidato do Avante à presidência da República

 

Pré-candidato a deputado federal, Anderson quer aproveitar o conhecimento que tem de Brasília para aproximar soluções. Ele já tem feito isso, inclusive. É ele quem acompanha JJ ou seus enviados pelos corredores de Brasília. De lá vieram recursos para reformas no HU e no Nossa Senhora das Graças, por exemplo. E é em Brasília que Anderson busca a ampliação do repasse de recursos para média e alta complexidade em Saúde – o que pode aumentar em R$ 10 milhões as verbas para o setor em Canoas no ano que vem.

"Jairo Jorge é um dos quadros mais preparados da política", avalia Anderson. "O modelo de gestão dele nunca esteve tão atual". Lembrando o Prefeitura na Rua, que no sábado completou sua 33ª edição do ano, ensina a ouvir o que as comunidades precisam. "As pessoas querem ter uma relação com a classe política e seus governantes. Isso que o Jairo faz é um grande exemplo disso".

 

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade