Imbróglio superado

CANOAS | ’Vizinhos do shopping’ já podem construir: MP e prefeitura assinam TAC e acordo ambiental

Principais beneficiários da medida são a Havan, de Luciano Hang, a Cassol e o Fort Atacadista – todos com projetos já aprovados na prefeitura. Tem, ainda, empreendimento residencial para sair por ali

Chegou ao fim o imbróglio que envolveu a área de 98 hectares à margem da Avenida Farroupilha, no bairro Marechal Rondon e ao lado do ParkShopping, e uma série de investimentos há pelo menos dois anos. Prefeitura e Ministério Público assinaram um TAC, Termo de Ajustamento de Conduta, que encerra toda a discussão sobre a impossibilidade de construir ali. O impasse ambiental foi resolvido com medidas compensatórias e, quem tiver projeto pronto, pode retomar ou iniciar a obra imeditamente.

É o caso da Havan que, no entanto, ainda não confirmou se manterá o investimento em Canoas a plenos pulmões, como havia alerdeado em 2021.

De acordo com a prefeitura, o documento assinado exige como contrapartida a construção de um novo parque com a preservação dos bens ambientais e com, no mínimo, 6 hectares de área; a preservação de todos os bens ambientais do terreno dos empreendimentos; a antecipação da abertura do sistema viário da Rua Noruega até a Avenida Boqueirão, que proporcionará uma nova rota no entorno dos empreendimentos; e a implantação de corredores verdes na região.

São esperados ali investimentos na casa do bilhão: Havan, Cassol Centerlar, Melnick Even e Fort Atacadista já apresentaram projetos à prefeitura. A expectativa é de que possam gerara até 43 mil novos empregos.

A secretária do Escritório de Projetos, Joceane Gasparetto, avalia que o TAC é um importante avanço para Canoas. “Foram décadas de discussão neste licenciamento. Lá foram realizados mais de 19 estudos técnicos ambientais na área. Isso deu segurança técnica à Prefeitura, para a promoção do licenciamento. Além disso, com a assinatura deste Termo de Ajustamento de Conduta, vamos garantir que haja a proteção ambiental e o desenvolvimento econômico da região. A contrapartida da construção do parque, principalmente, será importante para a qualificação das áreas verdes, como aconteceu no Capão do Corvo, que foi ampliado e passou a oferecer muito mais infraestrutura para os canoenses”, lembrou.

“Este acordo é muito bem-vindo, porque a instalação de novos empreendimentos gera mais empregos, renda e um incremento na arrecadação direta e indireta, o que significa mais desenvolvimento para a região e para o município como um todo, sem deixar de lado o nosso compromisso com o meio ambiente”, disse o prefeito em exercício, Nedy de Vargas Marques, que participou da audiência de assinatura do TAC.

 

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Emocore Rave

Expansionismo genético Votem no clichê sagrado Em edição americana Sempre haverá uma Salém Ossos no fundo do poço Carne new wave Emocore rave Para o mal Para o bem.

Leia mais »