Novelão Sogal

CANOAS | Semana curta, assunto comprido: quinta, Canoas vai conhecer o ’Plano JJ’ para crise na Sogal

Do pouco que o prefeito já antecipou, entende-se que o governo descarta uma intervenção ou rescisão de contrato; concessão vai até 2023

A semana curta do 20 de Setembro reserva um dos momentos mais importantes do ano para a cidade e o governo Jairo Jorge, que será a apresentação de um plano para superar a crise sem precedentes que consome o transporte público na cidade. Apelidada pelo blog de 'Novelão da Sogal', as adversidades se transformam em aflição mês sim e no outro também para funcionários que não recebem em dia e à população, que espera na parada por um ônibus que vez ou outra não vem.

 

LEIA TAMBÉM

CANOAS | Com 7 em cada 10 canoenses vacinados, ocupação das UTIs é a menor do ano – só não dá para bobear

CANOAS | EM VÍDEO | O cordial bate-papo de JJ e Busato com uma baita inovação ambiental de pano de fundo

 

E aí o que acontece? Ameaça de greve, tensão, dedos em riste e o usuário na dependência dos aplicativos. O enredo é manjado: denúncia do atraso, empresa em completo silêncio, rodoviários indignados e abacaxi no colo do governo. Essa última fase precedida de uma providencial 'arranhada na porta' da Prefeitura para ver se na oportunidade da vez, sai uma ajuda financeira à empresa.

Somente este ano, o governo já antecipou R$ 3,7 milhões em compra de passagens à Sogal. O recurso vem sendo utilizado no Auxílio Emergencial Canoense, que oferece R$ 200 por mês e R$ 96 em passagens para os atingidos pela pandemia do coronavírus durante 90 dias, mas cursos de qualificação e trabalho comunitário.

Semana passada, diante da miléssima vez em que a temperatura na Sogal subiu e a paralisação era iminente, o prefeito gravou um vídeo pedindo que os rodoviários cumprissem o acordo de não parar o transporte até 23 de setembro, quando o plano definitivo será conhecido. Confira o vídeo a seguir.

 

 

Reputo o vídeo como 'educado': JJ preferiu não pegar pesado e apostar no diálogo para manter o transporte funcionado, mesmo com dificuldades, até o encerramento da atual concessão, em 2023. O assunto tá lá no post JJ foi ’educado’ no vídeo sobre a crise da Sogal. Internamente, o governo avalia que uma intervenção seria muito cara os cofres públicos. Além disso, de certa forma, isentaria a empresa da solução para a qual ela foi contratada para dar: o transporte de qualidade.

No post Três pistas sobre a 'solução defintiva' de JJ para a crise no transporte, o blog especula o caminho que o governo deve percorrer para dar fim à crise. Para ler o texto completo, clique no link – as numeradas segue aqui:

 

1
Prazo: 23 de setembro

É o dia em que 'vence' o último acordo entre o sindicato dos rodoviários, a Sogal e o governo para prosseguimento dos trabalhos da Junta Governativa. Lembrando: o órgão foi criado em abril quando a Prefeitura fez a segunda compra de passagens e, na prática, funciona como uma 'intervenção branca' na gestão da empresa.

Graças à Junta, a Sogal separou de fato os seus custos dos da Vicasa, que até o início de julho operava o sistema metropolitano no eixo Canoas-Porto Alegre.

A missão da Junta de abrir a caixa-preta da gestão da empresa foi considerada satisfatória pela cúpula do governo. Em quase seis décadas de atividade, a Sogal nunca foi um exemplo de transparência – e hoje sequer atende aos pedidos de informação feitos pela imprensa. Luz sobre os números a Junta jogou – e o seu trabalho termina no dia 23, quando esse conjunto de informações servirá de subsídio para o plano que JJ promete apresentar.

 

2
Gratuidades

O prefeito disse ao blog no sábado que estudo a criação de um fundo ou a destinação de um recurso específico do orçamento municipal para o pagamento de gratuidades. O benefício, hoje, é contabilizado no cálculo da tarifa e pago por todos os usuários do transporte. "Os idosos com mais de 65 anos tem assegurada a gratuidade pelo Estatuto do Idoso. Mas os de 60 a 64 anos tem o benefício por uma lei municipal", explica Jairo.

Segundo o Departamento de Economia e Estatítisca da Secretaria de Planejamento do Estado, Canoas tem aproximadamente 18 mil idosos entre 60 e 64 anos. Esse público que não paga para usar os ônibus municipais já recebe o cartão da bilhetagem eletrônica e a Junta tem o volume de passagens mensal que consomem em seus deslocamentos. 

A alternativa de bancar as gratuidades incluiria, ainda, o transporte de deficientes físicos e seus acompanhantes. Hoje, eles recebem o cartão de bilhetagem com 120 passagens por mês – e o uso disso nem sempre é adequadamente controlado. "Podemos oferecer um número menor de passagens e aumentar conforme a necessidade de cada usuário, por exemplo", avalia o prefeito.

Quanto vai custar? Esse é o número que ainda está em apuração no governo.

Em outras frentes, seguem as articulações dos prefeitos em Brasília e no Piratini para que a União e o Estado também formem fundos de apoio ao transporte municipal.

 

3
Transferência de renda

Jairo acredita que o pagamento das gratuidades é mais do que um subsídio ao transporte e pode ser encarada como um programa de transferência de renda. "Veja, se o município repassar 20 passagens para uma pessoa, são R$ 96 por mês e R$ 1.152 por ano. Isso representa um alívio no bolso do usuário do transporte", comenta o prefeito.

Hoje, os contemplados com o Auxílio Emergencial Canoense já recebem um cartão de bilhetagem recarregado com 20 passagens por mês. Cinco mil canoenses foram contemplados com a primeira edição do programa e mais 5 mil serão selecionados na edição aberta no início do mês de setembro.

 

Em resumo, quinta-feira JJ dirá que não há solução mágica para o transporte.

 

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Emocore Rave

Expansionismo genético Votem no clichê sagrado Em edição americana Sempre haverá uma Salém Ossos no fundo do poço Carne new wave Emocore rave Para o mal Para o bem.

Leia mais »