O ar que respiramos

CANOAS | Qualidade do ar em Canoas é boa, mas índices de poluição crescem ano a ano: relatório da Fepam confirma o que no céu se vê

Poluente dióxido de enxofre dobrou nos céus da cidade de 2020 para 2021 – reflexo da redução da atividade econômica no primeiro ano da pandemia. 'Vilã' do ar tem endereço e, sozinha, representa 15% do que municípiio arrecada em tributos

Respirar em Canoas fica um pouquinho mais difícil a cada dia. Embora a qualidade do ar seja considerada 'boa' na maior parte do tempo, em pelo menos um dia de 2021 ela foi considerada 'inadequada' segundo o relatório da qualidade do ar publicado pela Fepam no final de semana. Dos 364 dias monitorados pelo órgão estatal, o ar de Canos foi 'bom' em 323 – ou 88,7% do tempo. Em 40 dias, foi 'regular'. E em 23 de maio de 2021, 'inadequado'.

O documento informa que Canoas foi a única cidade a registra um nível inadequado do ar na Região Metropolitana de Porto Alegre. A Fepam monitora a qualidade do ar em cinco estações: Canoas, Esteio, Triunfo, Gravataí e Guaíba.

A concentração de ozônio sobre o ceú de Canoas, por exemplo, cresceu de 18,7 microgramas por metro cúbico em 2017 para 28,6 ug/m3 em 2021. O ozônio, que protege a atmosfera dos raios nocivos do sol, também é um poluente perigoso em altas concetrações próximo à superfície. Por ser extremamente reativo, o elemento provoca reações químicas especialmente quando misturado a compostos liberados por veículos, processos industriais e aterros sanitários – característica típica de cidades metropolitanas, como Canoas e Esteio.

O dióxido de enxofre, responsável por parte dos problemas respiratórios encontrados nas grandes cidades, também preocupa no relatório. Em 2020, a estação de monitoriamento de Canoas havia captado 7,8 microgramas por metro cúbico e, em 2021, o registro saltou para 15,2 ug/m3. O dióxido de enxofre, aliás, é o responsável pelo dia 'inadequado' de qualidade do ar em 2021: nesse dia, o registro chegou a 200,6 ug/m³ quando o padrão referenciado pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) definido em 2018 é de até 125 ug/m³.

Trocando em miúdos, dá para concluir que a qualidade do ar em Canoas ainda é boa – mas fica mais poluído a cada dia, faça chuva ou faça sol.

O fatídico 23 de maio

O relatório da Fepam dedica um capítulo especial ao episódio de 23 de maio, quando a estação de Canoas registrou o pico de poluição e o ar na cidade foi considerado 'inadequado', segundo os padrões do Conama. Nesse dia, havia um centro de baixa pressão atuando sobre o Oceano Atlântico e ventos que atingiam a cidade a noroeste – de onde vinha um centro de alta pressão.

Essas condições climáticas teriam sido as responsáveis por gerar uma mistura tóxica: o ar da superfície e os poluentes emitidos sobretudo pela atividade da Refinaria Alberto Pascoalini, a REFAP. O fenômeno é chamado de 'turbilhonamento mecânico', como de uma centrífuga de lavar roupas. 

A dispersão dos gases, nesse dia, não ocorreu como de costume e alta concentração de poluentes elevou os índices tóxicos monitorados pela Fepam.

A REFAP, aliás, é apontada como responsável direta pela qualidade do ar no município vizinho de Esteio, onde os índices são muito similares a Canoas – quando, eventualmente, não são mais altos.

Em 2019, a Câmara de Vereadores de Esteio propôs uma comissão para exigir da refinaria relatórios mais aprofundados sobre a emissão de poluentes na atmosfera que impactam diretamente na qualidade do ar na cidade. A empresa recebeu ofícios e notificações, mas, oficialmente, não deu resposta alguma.

Outro dado de 2019, este acompanhado pela empresa Aeromóvel, aponta Canoas com um índice de emissão de poluentes semelhante a países inteiros como Japão, por exemplo. isso significa que, sozinha, a cidade é responsável pela mesma quantidade de monóxido de carbono que o país oriental emite – muito em função da REFAP.

A empresa, responsável por mais de 15% da arrecadação do município – cerca de R$ 320 milhões por ano – tem seus mecanismos de defesa ambiental. Esses, no entanto, não estão tão disponíveis para avaliação pública.

Ao contrário do ar, que alcança o nariz de todos.

 

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Emocore Rave

Expansionismo genético Votem no clichê sagrado Em edição americana Sempre haverá uma Salém Ossos no fundo do poço Carne new wave Emocore rave Para o mal Para o bem.

Leia mais »