Licitação das UPAs

CANOAS | Edital das UPAs abre caminho para livrar Canoas do Gamp: na sequência, vem CAPS, HPSC e HU

Plano do governo é contratar entidade para assumir a gestão das UPAs, o primeiro passo para encerrar o capítulo Gamp na história da Saúde em Canoas

Foi publicado nesta quarta-feira, 20, no Diário Oficial do município um edital de chamamento público para contratação de organização civil que assuma a gestão das Unidades de Pronto Atendimento de Canoas, as UPAs. Na prática, o edital é o primeiro passo para encerrar a presença do Grupo de Apoio à Medicina Preventiva e à Saúde Pública, o Gamp, na história da cidade – e colocar a administração das UPAs a cargo de uma entidade especializada nesse tipo de negócio, que fará  a contratação e o pagamento de médicos e equipes de saúde, além da manutenção dos serviços.

 

LEIA TAMBÉM

CANOAS | Calendário de vacinas da semana tem D2 de CoronaVac e AstraZeneca; e D1 para 12+

CANOAS | Reforma da Previdência: o equilíbrio e a polêmica

 

De acordo com a prefeitura, esse é o primeiro de quatro editais previstos para substituir os contratos com Gamp. Os demais envolvem o Hospital de Pronto Socorro de Canoas, o HPSC, o Hospital Universitário, o HU, e os Centros de Atenção Psicossocial, os CAPS.

O processo de seleção está marcado para o dia 23 de novembro, às 10h, na Rua Frei Orlando, 199, 4º andar, no Centro. A nova organização fará o gerenciamento e a operacionalização das ações e serviços de saúde, através de termo de colaboração, nas UPAs Rio Branco, Guajuviras (Boqueirão), Liberty Dick Conter e Niterói, que será reaberta, em breve, pela administração municipal. 

Na sequência, devem ser abertos os editais para gestão dos CAPS, do HPSC e do Hospital Universitário. 

O Gamp foi contratado pelo município no final de 2016 e, dois anos depois, mergulhou a cidade em um escândalo político e financeiro. O grupo foi acusado de fraude, compra de medicamentos superfaturados e uso dos recursos de saúde do município para pagamento de despesas com viagens e hotéis de luxo, de acordo com a investigação conduzida pelo Ministério Público gaúcho. A secretária de Saúde em 2018, Rosa Groenvald, foi afastada do cargo em dezembro daquele ano e depois definitivamente exonerada. O antecessor dela, Marcelo Bósio, chegou a ser preso por ter assinado o contrato com o Gamp.

Na época, o MP calculava um desvio de aproximadamente R$ 40 milhões – pouco menos de 10% dos R$ 426 milhões que o Gamp havia recebido da Prefeitura de Canoas nos dois anos de operação na cidade. De lá para cá, a Justiça determinou uma intervenção municipal na gestão do Gamp, vigente até hoje. 
 

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Emocore Rave

Expansionismo genético Votem no clichê sagrado Em edição americana Sempre haverá uma Salém Ossos no fundo do poço Carne new wave Emocore rave Para o mal Para o bem.

Leia mais »