Política

CANOAS | ’BolsOnyx’ da Aldeia se despede do DEM: o endereço dos filhos do PFL agora é outro

Rodrigo Mota, o 'ficha 1' do antigo Democratas em Canoas, se despede do partido para engrossar as fileiras no PL – para onde Bolsonaro já foi e está levando Onyx

Quem o conhece, sabe que deve ter sido quase com um nó na garganta que o músico, jornalista e quase formado administrador Rodrigo Mota publicou nota nas redes sociais nesta terça-feira, 8, se despedindo de sua 'alma matter' na política, o Democratas. O partido que conseguiu homologar no TSE a fusão com PSL ainda na noite de terça e se transformou em União Brasil não tem mais espaço para os bolsonaristas de primeira ora, como é o caso do ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, o padrinho de Mota, e dele próprio, um exemplar defensor do capitão-presidente.

 

LEIA TAMBÉM

CANOAS | O programa canoense que servirá de ’goiaba de amostra’ para presidenciável do Avante

CANOAS | Como uma decisão de Alexandre de Moraes a 2,2 mil km daqui pode mexer com as rescisões do Gamp

 

Lembrando o antigo PFL e nomes como o do ex-vereador por oito vezes na capital, Reginaldo Pujol, Mota deu um 'tchau, querida' ao DEM dizendo que 'perda' é o sentimento que fica em relação ao partido gaúcho – numa clara referência à antipatia que o grupo de Onyx sente pela decisão da maioria nacional em fusionar com os neo-direitistas do PSL e formar, da noite para o dia, o maior e mais rico partido do Brasil.

Mota deve se filiar ao PL em ato marcado para 22 de março – lembrando que 22 é o número eleitoral do PL. Nessa data, Onyx também assina ficha e deve ser lançado pré-candidato ao Piratini pela sigla. Até lá, o partido buscar resolver o impasse que é a candidatura do senador Luiz Carlos Heinze, já posta na corrida pelo Governo do Estado. Onyx reivindica o posto como 'o candidato do Bolsonaro' e, sabem todos, não há espaço para dois nesse guarda-chuva ideológico.

O plano do PL é espalhar pelo Estado a campanha 'BolsOnyx' e vencer no Sul com o eleitorado que quer repeteco do caapitão no mais alto cargo da República.

A seguir, a nota de Mota:

Hoje chega ao fim o partido Democratas, o antigo PFL. 
Hoje chega ao fim minha trajetória como presidente do partido em Canoas e na Executiva Estadual. 
Aqui no RS, liderados por Onyx Lorenzoni, fomos SEMPRE diferentes, mantivemos as raízes liberais e NUNCA nos vendemos aos "grandes" partidos que dominavam o Brasil. 
Aqui no RS, com Reginaldo Pujol, mantivemos a coerência e a retidão. 
Aqui no RS, com Rodrigo Lorenzoni e Eric Lins, somos referência de luta pelas liberdades, seja ela econômica ou individuais. 
Meu único sentimento de "perda" é justamente pelo PFL/DEM gaúcho. 
Agora vem a parte boa, nosso grupo não vai desaparecer com a sigla. Pelo contrário, nossa migração em massa para o Partido Liberal nos deixará muito mais fortes. 
As eleições vitoriosas, se Deus quiser, de Onyx governador e Bolsonaro mais 4 anos mostrarão isso. Uma nova casa, uma nova história…e uma nova chance para o RS e o Brasil… nascem com a morte do Democratas. 

 

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Emocore Rave

Expansionismo genético Votem no clichê sagrado Em edição americana Sempre haverá uma Salém Ossos no fundo do poço Carne new wave Emocore rave Para o mal Para o bem.

Leia mais »