Política

CANOAS | A aposta alta de Márcio Freitas e porque 2022 embaralha e não define 2024

Filiação do vereador mais votado de Canoas ao Avante revela 'plano maior' de Márcio Freitas e como o blog já disse lá em dezembro, põe lenha na fogueira da sucessão

A notícia de que Márcio Freitas é do Avante provocou pilhas de especulações nesta terça-feira, 26. Não por pouca coisa. É seguro o movimento de deixar o partido no meio do mandato, mesmo com a carta de anuência? Os planos dele são para 2022 ou 2024? Porque Márcio é quem defende Jairo Jorge, na política?

Começando pelo fim, Márcio sabe que há um inegável legado de JJ na cidade. Ele é, provavelmente, o político mais popular de Canoas depois de Hugo Lagranha. Os episódios que envolvem seu afastamento da Prefeitura e as apurações da Copa Livre ainda darão um destino ao personagem Jairo Jorge, mas o que a cidade e seus eleitores reconhecem como feitos seus seguem por aí, em disputa. O movimento de Márcio, na Câmara, é o sinal de que ele está disposto a ser quem vai ajudar nesse resgate: mesmo afastado, nem tudo sobre Jairo Jorge pode ser dado como terra arrasada – como também não se pode jogar Luiz Carlos Busato ao chão pela derrota de 2020.

 

CANOAS | Márcio Freitas é do Avante: o que rolou – e ainda pode rolar – com o ’up grade’ do mais votado

CANOAS | Jairo Jorge fala: o vídeo em que prefeito afastado assume a frente de sua defesa política

 

Pessoalmente, tinha ideia de que Felipe Martini, secretário de Enfrentamento à Pandemia até o fatítico 31 de março, faria esse papel. Presidente do PSD com a saída de JJ, Martini ainda não foi para o embate: estratégia ou precaução, ainda não sabemos.

Aproximar-se do legado de JJ ajuda – bastante – na perspectiva de quem Márcio quer ser em 2024. A filiação dele ao Avante, também. Embora o movimento de um único personagem não seja capaz de definir o quadro para uma eleição inteira, a troca de legenda do mais votado entre os vereadores e o homem apontado como o maior potencial eleitoral da cidade nas eleições de outubro pode – e deve – embaralhar as cartas para a sucessão.

Se JJ estiver em pé para 2024, é provável que o Avante gestione para manter o posto de vice, hoje ocupado por Nedy de Vargas Marques. E Nedy, por razões óbvias, permanece.

Já se JJ não estiver no pleito, arrisco a dizer em um exercício de futurologia de araque que o candidato do governo será aquele que tiver mais habilidade para juntar os desiguais. A política costuma abençoar os bons de conversa, os que sabem ouvir e mostram fidelidade.

A de Márcio Freitas, dada a Jairo Jorge, conta a favor dele nessa conversa.

Por fim, calha dizer que o ex-pedetista vai às urnas em 2022 com uma aposta alta na manga da camisa. Ao deixar o PDT no apagar das luzes do prazo para concorrer a deputado estadual, obteve do partido uma carta de anunência que, na prática, o libera para trocar de sigla. No entanto, a carta não evita que o primeiro suplente do PDT, Juliano Furquim, busque o mandato de Márcio na Justiça. Só para lembrar, Juliano é genro de Dario Silveira, candidato a vice de Busato em 2020 e desde então um atarracado opositor de JJ na cidade. 

Se isso acontecer, o único jeito de Márcio Freitas não ter dores de cabeça com a troca partidária é se elegendo deputado em outubro: a aposta é alta, mas o desafio não meteu medo no cristão novo do Avante.

 

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Emocore Rave

Expansionismo genético Votem no clichê sagrado Em edição americana Sempre haverá uma Salém Ossos no fundo do poço Carne new wave Emocore rave Para o mal Para o bem.

Leia mais »